O que é sexologia humana e que ligação ela tem com a psicologia?

A sexologia humana é a área que cuida da sexualidade humana, esta, por sua vez, desempenha um papel importante na vida de todos. Ela é a maneira pela qual experimentamos e nos expressamos como seres sexuais. Independentemente do indivíduo ser jovem ou velho, homem ou mulher, brasileiro ou japonês, ela é parte integrante do que fazemos e de quem somos.

É vasta a bibliografia e as pesquisas acadêmicas com relação à sexualidade humana, principalmente no que diz respeito a sua relação com a área cognitiva ou psicológica dos indivíduos, porque, como veremos, a sexualidade é parte integrante de nossas personalidades, quer estejamos cientes disso ou não.

O que é sexologia humana?

A sexologia é uma área científica que estuda o comportamento sexual das pessoas, ela abrange uma gama enorme de disciplinas de várias outras ciências, tais como a psicologia, a medicina, a antropologia e a sociologia.

Esta área investiga também outros assuntos, por exemplo, os abusos sexuais, controle de natalidade, novas técnicas de reprodução e questões como o aborto.

O estudo do amor, emoções sexuais, relacionamentos humanos, resposta sexual humana, comportamento sexual criminoso, função sexual, prazer e realização sexual foram empreendimentos relativamente recentes no estudo científico da sexualidade.

Um pouco de história

O século XIX foi um período muito significativo no desenvolvimento da sexologia, ele foi marcado por muitas descobertas importantes e inovações com respeito ao tema da sexualidade humana. Podemos citar três estudiosos alemães importantes que lançaram livros que foram verdadeiros divisores de águas sobre o tema sexualidade. Foram eles: “Psychopatia sexualis” de Richard von Krafft-Ebing, famoso psicanalista, lançado em 1886; “Libido sexualis” do psiquiatra Albert Moll, lançado em 1897; e o “Estudos de psicologia sexual” do físico Havelock Ellis, também lançado em 1897.

As características da sexualidade humana

“A sexualidade humana é um comportamento muito complexo que é afetado por muitas facetas de nossas vidas, incluindo nossa fisiologia, cognição e aprendizado”.

O comportamento sexual humano é diferente do comportamento sexual dos outros animais, pois nosso comportamento sexual parece ser governado por uma variedade e interação de diferentes fatores.

Isto é, enquanto os animais ou espécies “inferiores” são movidos por uma “força” para se reproduzir e, portanto, participar do comportamento sexual, os seres humanos não são sexualmente ativos apenas por uma questão de reprodução; há inumeráveis fatores bastante complexos que levam as pessoas a fazerem sexo.

O que é e o que faz um sexólogo?

O sexólogo é o profissional de saúde que possui o conhecimento especializado em sexologia humana. Portanto o sexólogo pode ser um psiquiatra, um terapeuta de casal ou psicólogo que tenha feito uma formação técnica na área da sexualidade, sexologia humana, disfunções sexuais, entre outros.

Mesmo o Brasil sendo um país conhecido pela liberdade e diversidade sexual, muitos são os que têm vergonha de falar sobre sexo, e isso acaba comprometendo na qualidade das relações sexuais do brasileiro. É daí que vem, em grande parte, o preconceito em relação aos sexólogos, à sexologia humana ou terapeutas sexuais.

Ao contrário do que muitos pensam, sexólogo não é nenhuma consulta ao ginecologista. Também não é terapia sobre como deixar de ter uma relação monogâmica, por exemplo. Não tem nudez ou nenhuma forma de contato sexual.

 Como se dá o processo de atendimento?

Inicialmente, o sexólogo precisará identificar o que está por trás da queixa. Afinal, ainda que existam muitas pessoas com o mesmo tipo de problema, os motivos para que ele surja podem ser completamente diferentes. Uma dificuldade de ereção pode vir, por exemplo, de mitos ou crenças limitantes, de cobranças excessivas internas, de uma ansiedade por desempenho, de estresse no trabalho etc.

Para isso, o profissional vai escutar o relato e precisará fazer muitas perguntas para entender o porquê de tudo. Essas conversas serão, na maioria das vezes, sobre a rotina sexual do paciente, logo, será inevitável abordar questões bem íntimas da pessoa ou do casal.

Cabe deixar claro, no entanto, que tudo o que for comentado nos atendimentos será mantido sob sigilo. Este é um dos preceitos do Código de Ética Profissional, que o psicólogo é obrigado a seguir.

Os objetivos da terapia sexual

Os objetivos gerais da terapia sexual serão:

  • Promover autoconhecimento;
  • Melhorar o diálogo entre o casal;
  • Diminuir as crenças limitantes;
  • Construir empatia pelos problemas do(a) parceiro(a);
  • Melhorar a harmonia na cama;

Alguns erros sexuais mais comuns

De acordo com Isabele Lucchesi, sexóloga online do Psicologia Viva, é importante que o casal vá aprendendo e aprimorando as maneiras de compartilharem seus prazeres. Os erros sexuais mais comuns relatados são:

#1. Não conversar sobre sexo

O diálogo é super importante para o desenvolvimento da sexualidade do casal e do relacionamento como um todo. Não espere que o seu parceiro adivinhe o que você quer, mesmo quando você acha que está deixando claro (pode não ser tão claro assim na visão dele ou dela!). O diálogo é fundamental!

#2. Nunca iniciar o sexo

A verdade é que é um erro esperar sempre que o seu parceiro tome o primeiro passo. Quando você toma a iniciativa, mostra que o sexo é uma prioridade em seu relacionamento. Isso faz com que o seu companheiro ache a demonstração de poder sexy. Ele (ou ela) vai ficar totalmente excitado pelo simples fato de que você o desejar sexualmente e ter a iniciativa de mostrá-lo.

a sexualidade humana#3. Ser indiferente na “hora h”

É muito importante deixar seu parceiro saber que você está curtindo aquele momento. Tente se soltar durante o sexo, sem medo dos sons e palavras que podem sair de sua boca!

#4. Responsabilizar o parceiro por seus orgasmos

É importante você entenda que está no comando de seu próprio orgasmo. É um grande erro esperar que o parceiro leia a sua mente…

Ser responsável pelo próprio prazer é se amar, se respeitar, saber o que lhe dá motivação e satisfação. É saber se conectar a si mesmo, pois quanto mais a pessoa estiver conectado a si, mais estará conectado ao outro.

#6. Pouca higiene

Mostrar-se sem banho ou com mau hálito é falta de consideração e afasta o seu parceiro!

#7. Permitir interrupções

A menos que esteja esperando uma ligação muito extremamente importante, não deixe o telefone interromper o seu momento. Quem está ligando pode deixar uma mensagem ou ligar depois se for importante. Não cometa o erro de quebrar o clima com distrações externas.

Algumas dicas ótimas para melhorar o sexo

#1. Trabalhe sua autoestima e autoconfiança

Mesmo quando está fora de forma ou com uns quilinhos a mais, o que conta mesmo é a sensação que você faz o seu parceiro sentir. Se ambos estão envolvidos na atitude da sensualidade, sem dúvida o sexo será proveitoso para os dois. Se você tiver alguma questão de autoestima que precise ser tratada com mais atenção, procure por um sexólogo online.

#2. Não tenha um dia específico ou hora marcada para a relação sexual

Deixe acontecer, sem pressão!

#3. Não vá com tanta sede ao pote

Se você está mais a fim que seu parceiro, invista nas carícias para que os dois entrem no clima juntos.

#4. A massagem

A massa é uma alternativa muito interessante para apimentar o clima entre o casal!

#5. O beijo também é um grande aliado nessa hora

Invista nos beijos calorosos e nunca deixe de beijar seu companheiro, pois o beijo é um dos principais ingredientes de uma boa relação.

#6. Deixe seu parceiro mais à vontade

Mostre que você também tem interesse por assuntos relacionados ao sexo.

#7. Algumas brincadeiras sensuais ajudam a desenvolver a sexualidade

Use brinquedinhos e jogos sensuais que podem ser encontrados em sex shops!

#8. Não apague todas as luzes.

Deixe o ambiente iluminado para que vocês possam se ver, e assim o clima esquentará ainda mais.

#9. Tenha sempre alguns itens importantes por perto.

Isso inclui lubrificantes, camisinhas diferentes e outros produtos que achar interessante.

#10. Varie as posições sexuais

É importante descobrir pontos diferentes de prazer. Experimente algo novo!

Quando procurar um sexólogo?

sexualidade humana

Vale lembra que o prazer não está relacionado apenas com o sexo, ele (o prazer) é algo que abrange a vida como um todo.

Um indivíduo que não possui prazer em sua vida afetiva pode facilmente apresentar sentimentos de abatimento, insatisfação e inadequação em seu cotidiano.

Dito isso, o que de melhor podemos recomendar é que se faça uma consulta com o sexólogo e inicie, o mais breve, o processo de terapia sexual.

Psicologia Viva

Selecionamos o psicólogo adequado para a sua necessidade e possibilitamos você ter uma consulta online por videoconferência de qualquer lugar do mundo.
Psicologia Viva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *