Ansiedade: sintomas, causas e tratamento

Ansiedade: sintomas, causas e tratamentos – Tudo o que você precisa saber

A ansiedade faz parte da vida de todos nós e, em certo nível, pode ser considerada saudável. É ela que nos ajuda a ter pontualidade nos compromissos, resolver uma questão que nos preocupa ou fugir de uma situação arriscada, por exemplo.

O problema surge quando ela se torna excessiva e as pessoas passam a se preocupar demais, inclusive com questões que não representam riscos reais.

Mas como saber se sua ansiedade ultrapassou os limites e você precisa ter mais atenção com a sua saúde emocional? Neste post trouxemos informações completas sobre o tema. Aproveite!

O que é a ansiedade?

Segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), o sentimento de ansiedade é a antecipação de alguma ameaça futura. Ela se relaciona com o medo e gera sensações de tensão e comportamentos de cuidado e esquiva.

Em alguns casos, esses estados emocionais acontecem em maior frequência ou persistem por muito tempo. Assim, deixam de ser considerados adaptativos e se tornam sintomas do chamado transtorno de ansiedade. Para pessoas com essa condição, muitas situações comuns passam a envolver extremo estresse e tensão física e psicológica.

O diagnóstico de transtorno de ansiedade não é simples. Assim como qualquer questão psicológica, é preciso muito cuidado e responsabilidade para identificar e tratar o problema. Para diagnosticá-lo, o médico analisa o histórico do paciente e identifica a prevalência e a frequência dos sintomas.

Quais são os tipos de ansiedade conhecidos hoje?

Os principais tipos da ansiedade

Os transtornos de ansiedade são divididos em alguns subtipos, de acordo com as situações que são gatilhos para os sentimentos de medo e preocupação. Em muitos casos essa divisão se torna artificial, pois é comum que a pessoa sofra com mais de um subtipo. Veja os principais:

Ansiedade generalizada

No transtorno de ansiedade generalizada não há identificação de um grupo de estímulos específicos que provocam o problema. As pessoas que se encaixam nesse subtipo apresentam sentimentos de medo e ansiedade em situações diversas — envolve tanto a vida social quanto o trabalho, por exemplo.

Ansiedade associada ao medo

Algumas pessoas se sentem muito ansiosas quando expostas a estímulos específicos. É o caso das respostas de medo diante de animais, ambientes hospitalares, lugares fechados, etc.

Mas atenção: para ser identificado como um transtorno de ansiedade, o temor deve ser desproporcional ao perigo real que essa situação representa.

Ansiedade social

Nesse subtipo, a sensação de temor aparece quando a pessoa precisa se submeter a situações sociais. Há uma preocupação excessiva em fazer algo errado ou ser mal avaliada pelos outros.

A ansiedade social pode se expressar em entrevistas de emprego, em momentos em que é preciso falar em público e até em eventos familiares.

Ataque de pânico

Os ataques de pânico são episódios de medo intenso que rapidamente desencadeiam fortes sintomas físicos e psicológicos. Podem surgir quando a pessoa pensa em uma situação temerosa ou está efetivamente passando por aquela experiência; entretanto, também pode acontecer sem causa aparente.

O pânico não é característica exclusiva dos transtornos de ansiedade outras condições psicológicas também podem apresentar essa comorbidade.

Como identificar ansiedade excessiva?

Agora que você já sabe que há um nível normal de ansiedade e conhece a classificação do transtorno, é interessante entender como diferenciar os níveis normais dos doentios desse sentimento. Veja alguns sinais:

Ver perigo em tudo

A pessoa com transtorno de ansiedade passa a superestimar o risco das situações e têm dificuldade para ficar tranquila, mesmo em contextos que não apresentam tanto perigo real. É o caso, por exemplo, de alguém que fica extremamente preocupado diante de um procedimento médico simples.

O paciente ansioso perde a sua capacidade de analisar a situação. O medo irracional passa a dominar os pensamentos e tudo parece mais perigoso do que realmente é. Com isso, a pessoa tem dificuldade para viver sua rotina normalmente dirigir até o trabalho, ficar sozinha em casa, viajar de avião, etc.

Preocupar-se excessivamente

Preocupação com

Esse é outro sintoma do transtorno de ansiedade. Aquela preocupação que ajuda você a se preparar melhor para as situações e antecipar riscos é positiva. Mas se você se sente preocupado ao ponto de travar e não conseguir realizar suas atividades, é preciso refletir sobre esse sentimento.

Além disso, pessoas ansiosas se sentem muito inquietas em relação ao futuro. Não vivem plenamente o presente, pois estão sempre pensando no que pode dar errado ela se imagina constantemente sendo demitida ou perdendo familiares queridos, por exemplo.

Estar com as emoções afloradas

Outro sinal de alerta para o transtorno de ansiedade é quando a pessoa tem dificuldade para relaxar e sentir bem-estar. Pessoas ansiosas estão frequentemente com a emoção à flor da pele e convivem com mudanças de humor, irritabilidade, ataques de euforia ou angústia.

Também são comuns sentimentos de inquietação, estresse, dificuldade de concentração e cansaço.

Apresentar sintomas físicos

O transtorno de ansiedade não afeta apenas o aspecto emocional. O corpo também apresenta sinais de que não está bem, como:

  •         alterações no sono;
  •         tensão muscular;
  •         dores de cabeça;
  •         sensação de falta de ar;
  •         taquicardia;
  •         suor excessivo;
  •         tontura;
  •         náuseas e desconforto abdominal;
  •         sensação de engasgo.

teste de ansiedade e estresse

O que pode causar ansiedade?

É muito difícil definir as causas. Como toda condição psíquica, apenas a análise da história e do modo de vida do paciente vão indicar caminhos para entender as origens do problema. Muitas questões podem estar envolvidas, como fatores genéticos, situações do passado e vivências atuais.

Pessoas que passaram por traumas importantes na sua vida podem estar mais propensas a desenvolver o transtorno de ansiedade. Sabe-se que há também a influência da genética familiar. Além disso, quem se expõe a ambientes de muita pressão, como trabalhos estressantes ou cidades violentas, também está mais vulnerável à ansiedade excessiva.

Algumas doenças físicas podem desencadear episódios de ansiedade. É o caso, por exemplo, de problemas cardiovasculares, hipertireoidismo, problemas respiratórios e dores crônicas. O abuso de álcool, drogas e remédios também pode afetar esse quadro. Além disso, tratamentos difíceis, como os de câncer, abalam o fator emocional e podem gerar ansiedade.

De que forma a ansiedade afeta sua vida pessoal e profissional?

Os sintomas psicológicos e físicos  influenciam bastante na vida das pessoas. Em casos mais graves, há uma impossibilidade real de continuar a rotina muitos pacientes interrompem a faculdade ou pedem afastamento do trabalho, por exemplo.

As preocupações e os medos excessivos atrapalham até mesmo atividades simples, como conseguir sair de casa para chegar ao trabalho. Além disso, o rendimento do profissional não é o mesmo quando ele enfrenta dificuldades como estafa mental e insônia.

A vida pessoal também é afetada pelo transtorno de ansiedade. Muitas vezes, a pessoa se recusa a sair com amigos pelo medo excessivo, seja de dirigir, de frequentar lugares fechados ou de ser criticada pelos outros. Até mesmo o relacionamento familiar se torna mais difícil para o paciente ansioso.

Como controlar esse problema?

Se você se identificou com os sintomas, não tente enfrenta-la sozinho! É indispensável procurar um psicólogo para realizar o diagnóstico correto e iniciar o tratamento. Na terapia, você vai poder entender e modificar os aspectos da sua vida que têm relação com a ansiedade excessiva.

Alguns hábitos simples ajudam a controlar a ansiedade e otimizam os efeitos do tratamento:

Praticar atividade física

Manter o corpo ativo é essencial para ter saúde física e mental. O exercício libera hormônios relacionados ao prazer e bem-estar, auxiliando no tratamento da ansiedade. Além disso, também ajuda a diminuir o estresse e regular o sono.

Há diversas opções para quem quer praticar uma atividade física. Você pode procurar esportes, musculação, exercícios de alongamento, danças, artes marciais, pilates, etc. Escolha a modalidade que mais te motiva e aproveite os benefícios para sua saúde.

Manter uma alimentação saudável

A forma como nos alimentamos tem relação com todo o funcionamento do organismo. Hábitos alimentares saudáveis também promovem qualidade de vida. Por isso, procure ter uma alimentação sem excessos e prefira sempre comidas naturais.

Evite consumir alimentos industrializados e não exagere nos doces. Junto com a ansiedade, eles podem desregular ainda mais seu sistema gástrico e aumentar o desconforto. Além disso, corte hábitos que prejudicam sua saúde, como beber muito café, abusar do álcool ou fumar.

Exercitar técnicas de relaxamento

Praticar o relaxamento é útil para tornar a sua rotina mais leve e também para controlar os episódios intensos de nervosismo e medo. Aprender a respirar melhor e relaxar o corpo com essas técnicas é muito útil para quem trata o transtorno de ansiedade. Fazer ioga ou praticar meditação são boas opções para quem quer conhecer e controlar melhor o corpo e a mente.

Incluir momentos prazerosos na rotina

Em muitos casos, a ansiedade está relacionada à pressão da vida cotidiana. É impossível ter saúde emocional se a sua rotina é composta apenas pelo trabalho e outras responsabilidades. Seu corpo também precisa de descanso e prazer para continuar funcionamento bem e combater a ansiedade.

Por isso, crie tempo para alguns hábitos que você considera prazerosos. Caminhar em um parque, ouvir música, assistir filmes, tomar um banho relaxante, ir ao seu restaurante preferido… Faça uma lista de coisas que geram satisfação e inclua na sua rotina aos poucos.

Todos nós passamos por momentos difíceis e sentimos ansiedade. Se você acha que os seus estão muito frequentes ou intensos, procure um psicólogo. Os sintomas do transtorno de ansiedade não desaparecem sozinhos — pelo contrário! A terapia vai contribuir para que você se sinta melhor e supere esses desafios.

Precisa de ajuda para reconhecer seus sentimentos? Faça o teste de ansiedade e depressão!

 

teste de ansiedade e estresse

"Ansiedade: sintomas, causas e tratamentos - Tudo o que você precisa saber", 5 out of 5 based on 2 ratings.
Psicologia Viva

Psicologia Viva

Selecionamos o psicólogo adequado para a sua necessidade e possibilitamos você ter uma consulta online por videoconferência de qualquer lugar do mundo.
Psicologia Viva

Deixe uma resposta