aprenda a dizer nao

Aprenda a dizer “Não” – Como deixar sua rotina mais leve

Muitas pessoas têm dificuldade em dizer “Não” para o outro. Sentem-se bem ao acharem que estão ajudando quando são solícitos, carregam uma historicidade que os influência para serem de “bom coração”, buscam a aprovação e aceitação do outro ao serem prestativos, sentem medo de rejeição e de serem vistos como alguém ruim.

Geralmente estas pessoas têm características subjetivas de serem maleáveis, se adaptam à vontade do outro, são afetivas e prevalecem ideias carregadas de afetividade – paixão, amor, dó, compaixão, piedade… – seus julgamentos e decisões acabam não sendo tão racionais como deveriam, pesando mais para o lado emotivo.

Infelizmente, ao longo do tempo, o bonzinho vai acumulando sofrimentos e prejuízos emocionais por não ser autêntico e não expor suas vontades. Então é de extrema necessidade o desenvolvimento de capacidade e habilidade para lidar com o outro.

Como deixar de ser tão bonzinho e aprender a dizer não?

Primeiramente precisa haver o reconhecimento pessoal de ser dessa forma, admitir e aceitar. Para isso valem as reflexões sobre o próprio jeito de ser e corresponder ao outro.

Também necessita aceitar que há pessoas que sabem tirar proveito de quem tem esse jeito bondoso, são as pessoas exploradoras com habilidades de persuasão e manipulação.

Depois é primordial voltar-se para si e buscar seu desenvolvimento e crescimento pessoal. Aqui entra a busca pelo desenvolvimento do autoconhecimento e maturidade emocional, inteligência emocional, conhecer-se profundamente, saber sobre sua essência, distinguir seus valores, seu modo de ser e como gostaria de ser para ao longo do tempo chegar a autorrealização pessoal.

E aí, aprender a desenvolver habilidades de comunicação, falar com assertividade e gentileza, e desenvolver o autocontrole emocional.

Fazer uso do comportamento não verbal e da prosódia, que é um componente afetivo na linguagem constituído pela entonação, inflexões da fala e gesticulação.

Também vale ressaltar a importância de usar a Comunicação Não-Violenta-CNV, uma ótima técnica que ensina a ser observador e reformulador de respostas conscientes e claras.

Com o tempo precisa juntar experiências para desenvolver a segurança e confiança em si mesmo. Chegar ao ponto de ter sabedoria para distinguir alternativas de respostas e inúmeras situações.

Pode se posicionar de forma clara, genuína, ostensiva ou se for o caso pode desconversar, ficar reflexivo sem se posicionar, mas, com a segurança de ter agido de forma intencional conforme a sua escolha.

É de grande valia que cada pessoa, no papel de comunicador, tenha claro seu dever de estar atento ao fato de que a responsabilidade da comunicação é sua.

Quando fala, precisa cuidar para ter a certeza que transmitiu aquilo que queria de tal maneira que o outro pode compreender.

Assim o comunicador precisa adaptar sua forma de expressão para que seja congruente com a capacidade de entendimento do outro.

Conclusão

Lembre-se que ninguém precisa agradar a todos, ninguém precisa fazer sacrifícios pelo outro. É primordial que cada pessoa constantemente aprimore a forma como lida com o outro.

Por isso, cada pessoa deve ler mais sobre o assunto, ver vídeos, dialogar com um expert no assunto, aprender com histórias dos outros, fazer treinamentos, praticar a psicoterapia!

atendimento-online-banner

Gisele Maraschin

Atuo desde 2007 e ser psicóloga é poder desfrutar da paixão e admiração que tenho pelo ser humano. É poder ajudar alguém nem que seja só por uma escuta confiável. É poder compreender e fazer o outro se compreender melhor para fazer boas escolhas. Ser psicóloga é uma mistura de satisfação e gratidão!
Gisele Maraschin

One thought on “Aprenda a dizer “Não” – Como deixar sua rotina mais leve

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *