automutilacao

Automutilação: Porque as pessoas se cortam?

Se você acaba ferindo a si mesmo quando não se sente bem, saiba que isso é um assunto sério e que merece atenção.

A automutilação é um assunto conhecido, mas pouco comentado nas rodas sociais. Muitos já conheceram um amigo próximo ou distante que se feria de uma forma branda, ou grave quando estava em momento de estresse.  

Este artigo busca esclarecer dúvidas de pessoas que passam por esta realidade, e de pessoas que convivem com alguém que enfrenta esse problema. O nosso objetivo é orientar a busca pelo tratamento necessário.

Automutilação: o que isso significa?

Essa violência contra si mesmo acontece quando foge do controle lidar com a situação vivida e tantos os atos de violência maior —  como bater a cabeça contra a parede, criar cortes em seu corpo, se queimar, se arranhar— e até mesmo atos menores — arrancar pelo, cabelo ou evitar que feridas cicatrizem—  são um meio de extravasar a carga emocional contida, seguidos por um sentimento de alívio.

Ainda é um tabu falar sobre essas crises. Elas são responsáveis por causarem tensão e sofrimento em quem tem dificuldade em lidar com grandes cargas emocionais do dia a dia.

Dessa forma, a pessoa fere seu próprio corpo quando está em um desses momentos de tensão extrema.

É importante lembrar que isso é um resultado de um sofrimento real, e que ninguém deve se sentir culpado por atos que muitas vezes podem ser indícios de transtornos maiores, que precisam ser tratados.

Além disso, as autolesões podem ser porta de entradas para formas mais perigosas de tentar sanar suas dores internas, como a automutilação ou o suicídio.

Por que crio lesões em meu corpo?

Para entender sobre esse assunto de forma mais clara, precisamos conhecer primeiro as causas de tais atos.

Em um mundo onde frequentemente precisamos mostrar que somos fortes para sociedade, e que somos capazes de lidar com todos os afazeres, acabamos por mascarar e esconder nossos conflitos emocionais, quando deveríamos reconhecê-los e tratá-los para ficarmos livres do peso deles.

Quando não conseguimos falar ou demonstrar nosso sofrimento emocional, nossa mente cria formas de aliviá-lo. Algumas pessoas ao não se expressarem, por exemplo,  ficam doentes, enquanto outras sentem uma forte tendência em manter rituais nos quais se machucam.

Se você se machuca quando está com problemas, entenda que esta é uma forma não saudável de aliviar as tensões emocionais. Mas que a intenção deste artigo não é fazê-lo se sentir culpado, e sim servir como uma porta de entrada para você entender e discutir sobre esse assunto e, principalmente, para mostrar que existe tratamento.

Posso estar doente?

A autolesão não é entendida como uma doença, mas sim como um sintoma, podendo ter ou não algum transtorno mais grave associado.

Algum transtornos mais sérios podem levar a autolesão, sendo eles: quadros de Esquizofrenia, Autismo, Síndrome de Asperger, Depressão, Transtorno Borderline, Transtorno Bipolar do Humor, entre outros. A avaliação deve sempre ser feita por um profissional.

Será que minha autoestima está baixa?

Infelizmente uma das maiores causas da autolesão em adolescentes é a autoestima baixa, aquele jovem acredita que não é importante e tem dificuldade em se enxergar de forma positiva.

Para lhe ajudar a identificar se você possui disposição a apresentar uma autoestima baixa criamos um pequeno exercício.

Abaixo, você poderá responder ao questionário e o resultado será enviado ao seu email. Por isso tente responder com o máximo de sinceridade de clareza.

Lembrando que as suas respostas não serão compartilhadas, confira:

Aviso importante

O resultado dessa avaliação não indica um diagnóstico completo, portando somente o resultado desse teste não é o suficiente para diagnosticar um quadro de autoestima baixa.

Para determinar qualquer diagnóstico potencial discuta seu resultado com um psicólogo.

Qual tratamento devo procurar?

Por ser um quadro que causa um grau de risco para a pessoa, é preciso buscar com urgência um tratamento adequado, para que esse ritual de autopunição não se transforme em automutilação.

A automutilação, forma mais grave que a autolesão, ocorre em maior grau em casos alucinatórios como a esquizofrenia e uso de drogas; transtornos onde há dificuldade de controle de impulsos, como o bipolar; podem ocorrer também em casos de fanatismo religioso, onde a pessoa passa a acreditar que precisar pagar por algum pecado cometido, ou em desordens de cunho sexual onde ocorre a castração.

Em quadros graves de depressão, além de tentar automutilação, o paciente pode ter ainda o impulso de suicídio.

O psicólogo precisará entender de onde surge a raiva contida que o paciente possui — e acaba por direcionar a si mesmo — e oferecer meios para que o paciente consiga superar esses hábitos, conquistando uma vida mais saudável.

É recomendado, em quadros de transtornos, que acompanhamento conte também com o psiquiatra e medicamentos, favorecendo assim o tratamento psicológico.

Aqui no psicologia viva, contamos com profissionais capacitados e dispostos a ajudar. Se você vivencia esse problema, não deixe de buscar ajuda.

Vanisse Barros Guido

Vanisse Barros Guido

Meus atendimentos são voltados para reflexão, autoconhecimento e uma busca de uma melhor compreensão de si mesmo e dos próprios comportamentos. Acredito que quando nos compreendemos melhor, mais facilmente lidamos com nossas questões. Baseada em conceitos da psicanálise, utilizo da observação e da fala livre do paciente para levá-lo á uma maior compreensão de si mesmo, do seu parceiro (terapia de casal), ou de questões pontuais.

Facebook e Instaram: Psicóloga Vanisse Barros
WhatsApp: (21) 973705096
Vanisse Barros Guido

Últimos posts por Vanisse Barros Guido (exibir todos)

One thought on “Automutilação: Porque as pessoas se cortam?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *