Bulimia nervosa: quais as causas, sintomas e como tratar?

A magreza e a busca pelo corpo perfeito já são ideais presentes na mente de homens e mulheres há algumas décadas, mas no mundo que vivemos atualmente, a mídia define e veicula padrões de beleza e comportamento.

Com o advento da tecnologia, esses padrões, cada vez mais inalcançáveis, são facilmente difundidos e compartilhados, alcançando pessoas das mais diversas idades e classes socioeconômicas..

Dentre os diversos transtornos alimentares que podem ser gerados por essa busca irrefreável, destaca-se a bulimia nervosa. Neste texto, você vai entender o que é a bulimia, seus sintomas e como tratá-la.

Bulimia = “fome de boi”

Bulimia significa “fome de boi”, uma vez que esse transtorno é caracterizado por episódios de crises bulímicas: orgias alimentares com consumo rápido de uma grande quantidade de alimentos, acrescidas por uma sensação de perda de controle, seguida por autodepreciação e culpa.

Quando essa crise bulímica vem acompanhada pelo desejo de purgar – ou expelir – os alimentos ingeridos após a sensação de culpa, caracteriza-se o quadro de bulimia nervosa, que é o termo correto para este transtorno alimentar, uma vez que a palavra “bulimia” sozinha apenas se refere, como dito acima, aos episódios de fome descomedida.

A bulimia nervosa é uma patologia psiquiátrica que atinge principalmente mulheres jovens – entre 15 e 25 anos –, mas pode também ocorrer em homens, mulheres adultas e até na menopausa.

Sintomas da bulimia nervosa

Esse transtorno alimentar costuma ser uma patologia solitária,a, pois normalmente seus sintomas não são evidentes e os episódios de crise bulímica e de purga costumam ocorrer em segredo. Além disso, ao contrário da anorexia nervosa, em que o emagrecimento é aparente e facilmente notado, na bulimia nervosa este simplesmente não acontece.

Os alimentos são ingeridos em quantidades exorbitantes e permanecem no organismo durante algum tempo até a purga – que pode se dar por meio de vômito, uso de laxantes ou de termogênicos –e uma boa parte de suas calorias chegam a ser absorvidas pelo organismo.

Dessa forma, as pessoas em volta não percebem o emagrecimento e nem têm acesso aos episódios de crise bulímica e de purgação, o que faz com que normalmente o diagnóstico da bulimia nervosa se dê de forma tardia, dificultando o tratamento.

Apesar disso, existem algumas características que podem ser observadas e servem para acender o farol amarelo. São elas:

  • Preocupação excessiva com o corpo e peso;
  • Obsessão por dietas e controle de calorias;
  • Longos períodos de jejum.

Existem também alguns sintomas orgânicos gerados pela purgação excessiva, como: vasos sanguíneos quebrados nos olhos, boca seca, dentes pouco saudáveis e dificuldade em manter alimentos no organismo, mesmo quando a purga não é induzida.

Tratamento

A bulimia nervosa é um transtorno alimentar que tem bases psicológicas, porém afeta o funcionamento corporal em todos os níveis. Por isso, o tratamento recomendado é de cunho multidisciplinar, com acompanhamento médico, nutricional e psicológico.

Essa patologia normalmente vem acompanhada por outros transtornos mentais, como ansiedade, depressão e/ou transtorno obsessivo-compulsivo.O papel do psicólogo é ajudar o paciente a compreender as causas desses distúrbios e quais os pensamentos, sentimentos e comportamentos que corroboram para sua ocorrência.

Ao ser acompanhado por um profissional qualificado, o paciente entenderá sua relação com o próprio corpo, as influências externas na sua autoimagem e poderá trabalhar para desconstruir padrões socialmente impostos, por meio da ampliação do autoconhecimento.

Se você se identificou com este texto, ou conhece alguém que pode estar enfrentando a bulimia nervosa, não deixe de entrar em contato com um dos psicólogos da base do Psicologia Viva! Curta e compartilhe este texto nas suas redes sociais, para que mais pessoas possam ter acesso a esta importante informação.

Raissa Dias Vieira de Assis

Psicóloga graduada pela UFMG e com formação em Gestalt-terapia. A Gestalt-terapia é uma abordagem pautada no método fenomenológico, e se baseia na vivência individual de cada pessoa, na relação terapêutica e na conscientização de suas experiências. Indicada em várias situações, como ansiedade, estresse, dificuldades de relacionamento, fobias, TOC, baixa autoestima, conflitos existenciais e outras questões emocionais contemporâneas. Busca auxiliar em uma maior integração emocional, fisiológica e racional, prezando pelo autoconhecimento. Minha experiência se dá principalmente com atendimento individual de adultos, sendo que meu objetivo é sempre ajudar a ampliar suas possibilidades, trazendo auto-conscientização e auto-reflexão para auxiliar nas escolhas e adversidades do dia-a-dia. Agende uma consulta e conheça os benefícios do acompanhamento psicológico! Caso os horários disponíveis não se encaixem na sua disponibilidade, entre em contato para que possamos encontrar outro que melhor lhe atenda.
Raissa Dias Vieira de Assis

Últimos posts por Raissa Dias Vieira de Assis (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *