O que é carência afetiva? Saiba como tratar

Casal frustado devido a uma carência afetiva

Você costuma sentir solidão mesmo quando há várias pessoas ao seu redor? Muitas vezes você se sente para baixo e desiludido? Se sua resposta é sim para essas perguntas, você precisa saber mais sobre o que é carência afetiva.

Muitas pessoas têm enfrentado esse problema, que afeta homens e mulheres das mais variadas idades. Boa parte da população acredita não estar recebendo o amor necessário em sua vida. Este é o sintoma característico de dependência emocional extrema, causado pela carência afetiva.

Como o problema se desenvolve?

Essa carência costuma surgir ainda na infância, com as relações primárias. Quando a criança não recebe atenção suficiente, passa por episódios de rejeição e abandono, ou interpreta de forma traumática algum fato em sua vida, isso provavelmente vai influenciar suas relações na fase adulta.

Por outro lado, a pessoa pode desenvolver esta carência quando recebe cuidados em excesso, gerando a sensação de dependência nas atividades corriqueiras e até mesmo com relação ao amor, fazendo com que ela acredite que sua alegria sempre depende de alguém.

Quais são os sintomas de carência afetiva?

Se você está passando por momentos em que acredita haver ausência de amor ou sente a necessidade de atenção, vale a pena observar melhor as características que listamos a seguir, já que elas são típicas de quem sofre de dependência afetiva.

  • Submissão extrema às pessoas;
  •  Medo de desagradar;
  • Crença de que a felicidade está condicionada à outra pessoa;
  • Ciúme excessivo;
  • Viver em função dos sonhos do outro;
  • Não ter planos nem perspectiva para a própria vida;
  • Medo da solidão;
  • Sentimento de inferioridade;
  • Necessidade de chamar a atenção das pessoas.

Como se livrar desse mal?

Uma vez que você conhece melhor os sintomas da carência afetiva, é importante começar a agir para se livrar do problema. Em primeiro lugar,  você precisa buscar estar bem consigo mesmo. Ninguém deve condicionar a sua felicidade às outras pessoas. Quem faz parte da sua vida deve estar ali para acrescentar, e não para suprir suas carências.

Busque melhorar como pessoa, reconheça suas qualidades e as valorize, mas saiba que todos temos nossos defeitos, isso é comum. Aprenda a lidar com suas limitações e não se diminua por esses motivos, mas ame-se do jeito que você é.

É importante também que você consiga manter um bom relacionamento com todos a sua volta, sabendo que existem várias expressões de amor. Por isso, você não deve focar todas as suas atenções somente em uma relação. Comece a observar o quanto as pessoas gostam de você, mesmo que tenham formas diferentes de demonstrar seus sentimentos.

Como essa dependência amorosa surge pela necessidade de suprir a falta de amor próprio, o segredo para vencê-la está na capacidade de agradar a si mesmo. Sendo assim, se esforce para isso, elogiando-se, reconhecendo-se como uma pessoa capaz e cheia de qualidades e sabendo valorizar as próprias conquistas.

Vencer esta situação pode ser mais fácil do que você imagina. Por isso, não hesite em procurar ajuda especializada de um psicólogo. Com certeza este profissional vai te auxiliar a descobrir a origem do problema e te indicará o caminho para que você consiga virar o jogo.

Gostou de entender o que é carência afetiva? Compartilhe esse texto em suas redes sociais.

"O que é carência afetiva? Saiba como tratar", 5 out of 5 based on 1 ratings.
4
Psicologia Viva

Psicologia Viva

Selecionamos o psicólogo adequado para a sua necessidade e possibilitamos você ter uma consulta online por videoconferência de qualquer lugar do mundo.
Psicologia Viva

Psicologia Viva

Selecionamos o psicólogo adequado para a sua necessidade e possibilitamos você ter uma consulta online por videoconferência de qualquer lugar do mundo.

11 thoughts on “O que é carência afetiva? Saiba como tratar

  1. Excelente, tenho conhecimento da minha carencia emocional , sei onde surgiu, na infancia, falta do amor de pai transferi isso tudo para o companheiro, nao sei lidar com essa carencia.

  2. Eu aos trinta e quatro anos mãe de quatro filhos, ainda me sinto só, mas eu reconheço o meu problema, porem não suporto isso mais, tenho nojo de mim por isso, detesto meu jeito de agradar por medo da rejeição, eu sempre deixo de fazer o bem pra mim, pra fazer favor pros outros. Não consigo dizer não. E TB não tenho planos, sonhos, foi a partir dai que percebi que tinha algo errado, pois sempre estou tentando ajudar os outros a realizar seus sonhos, mais eu mesma nada. Muito bom esse site.

  3. Ola excelente articulo, eu tenho este problema e quero superar e creyo que es porque no tive uma familia un pai e Una mae que asumi o papel de mae eu que fiz este papel Con ela e sempre ajudando e agradando a todos meu matrimonio s sido roto mi ex Marido mi maltrato pisicologicamente e minha mar igual,hoje estou buscando ajuda para aprender a ligar Con esta carencia me paso muitas coisas tenho tres filhos pequeños mi ex me abandono Con 20 días de parida faz un año tive muitos maltratos pisocologico necesito muito ajuda vivo en españa estou sozinha Sen familia Re apoio de ninguen so de estraños e buscando ajuda para vivir Con mis filhos no sei cómo funciona buscar ajuda no site porque no posso consulta Presencial.obrigada e sigue Enviado articulo para poder nos ajudar estou pasando nada facil na minha Vida obrigada

  4. O interessante é que essa suposta doença, têm características próprias de quem esta apaixonado.Quer dizer que agora, eu não posso confessar minha paixão por alguém, nem dizer e elogiar as qualidades dela, e por conta desse sentimento de amor, dizer que preciso dela, sem ser taxado de doente? A impressão que me dá, é que ficam inventando doença para fomentar os respectivos setores na medicina.Será que tudo isso tem haver com o governo que atua a alguns anos no Brasil?

    1. Prezado Vanildo, o conteúdo textual não repreende o fato de declarar-se apaixonado por alguém ou elogiar o mesmo, entretanto o texto alerta para os excessos emocionais que por vezes denotam uma ausência extrema. Nós do Psicologia Viva não temos ligação alguma com o Governo e nem fomentamos a indústria da medicina, a única coisa que nos preocupamos é em levar conteúdo de qualidade para nossos leitores e com isso podermos promover um pouco mais sobre a saúde mental e emocional.

Deixe uma resposta