como lidar com o medo

Como lidar com o medo: sintomas, causas e dicas de como controlá-lo

O medo é uma emoção preservadora

“O medo é um legado evolutivo vital que leva o organismo a evitar ameaças, tendo um valor óbvio na sobrevivência. É uma emoção produzida pela percepção de um perigo presente ou iminente, sendo normal em situações apropriadas.”

Neste pequeno trecho de seu livro sobre medo, o psiquiatra Isaac Marks, pesquisador da Universidade de Londres, nos mostra que é praticamente impossível viver sem medo.

Se pensarmos em nosso cotidiano, o medo está presente por exemplo no simples ato de atravessar uma rua, temos a tendência de olhar para um lado e para o outro antes de atravessar, pois o medo de sermos atropelado nos faz agir assim. Neste caso vemos que o medo é saudável e nos protege dos perigos que nos cercam, um assalto, um incêndio, um susto e etc.

O medo patológico

Agora se percebemos que temos um medo de maneira exagerada ou irracional, passa a ser um medo patológico, podendo com o tempo se converter em um transtorno ansioso. A ansiedade é uma emoção semelhante ao medo, porém surge sem que haja um perigo real.

Por exemplo medo de morrer por uma doença grave de forma excessiva, no caso das pessoas hipocondríacas. Ansiedade social, medo de comer em lugares públicos, iniciar uma conversa com o sexo oposto, medo de falar em público. Temos a ansiedade fóbica que é fobia de insetos, fobia de animais inofensivos, medo de avião, medo de altura e outros.

Vemos que o medo patológico leva pessoas a adquirir um terror, fazendo com que elas saiam correndo de certos lugares antes de uma crise aparecer.

Como lidar com o medo

Ao perceber que você está tendo uma crise e sentindo os sintomas de taquicardia, falta de ar, tremores, tensão ou abalos musculares, tontura, sudorese, ondas de frio ou calor, etc., observe se seus sintomas psíquicos são de nervosismos, irritabilidade ou insegurança, tente fazer alguns exercícios para respirar com mais leveza, respirando lentamente e segurando o ar em 3 tempos, e expirando, soltando o ar em 6 tempos.

Tente fazer sempre de forma lenta. Você deverá inspirar pelo nariz e soltar pela boca. Você vai fazer uma respiração abdominal, ou seja, o ar vai para a barriga e não para o tórax, e vai soltando o ar mais lentamente pela boca.

Essa técnica é bem importante para ser aprendida, pois em uma crise de pânico ou de ansiedade, a pessoa respira rapidamente, levando a um desequilíbrio entre a quantidade de gás carbônico e oxigênio no organismo. Por isso é necessário fazer um controle da respiração.

Identificar também o que se passa na mente no momento da emoção de ansiedade e medo é importante para também se questionar e trabalhar em terapia os pensamentos que não  são muito racionais neste momento, esta e outras técnicas de relaxamento e de hierarquização do medo e muito mais podem ser trabalhados em terapia.

Trabalhar com distração de pensamentos, focando seu pensamento de medo e ansiedade em algo que seja mais tranquilo, agradável, uma imagem de boas recordações, um objeto a saber descrever em sua frente a fim de que sua mente tire a atenção sobre o pensamento ruim que faz com que você sinta o medo. Essas são algumas ferramentas utilizadas para lidar com as situações de medo.

Mas o medo como é subjetivo, deve ser focado na história de  vida de cada pessoa, suas causas, implicações, fatores diversos inseridos nesse contexto e na forma de pensar, sentir e agir diante das situações de sua vida.

Portanto, se você se sente ansioso, com medos excessivos e crises de pânico, procure um psicólogo e psiquiatra para um acompanhamento adequado, e com esse programa de terapia, este profissional poderá conhecer as causas e formas de lidar com seu medo e ansiedade. Há alguns casos que se faz necessário o uso da medicação por ser um desequilíbrio neuroquímico do cérebro.

Portanto, o profissional vai direcionar-lhe a um tratamento de acordo com sua fobia e assim ajudá-lo a ter uma  nova visão sobre as situações e saber lidar de forma mais funcional e saudável, sem ter esses medos exagerados.

REJANE AMARAL DE SOUSA

Ser psicóloga não apenas ter um diploma em mãos, mas saber ter uma escuta precisa, uma alma e uma mente pronta a ouvir o outro, analisar, interpretar e interviradequadamente em se tratando de suas queixas, angústias, conflitos, ajudandoo paciente ater uma melhor compreensão de si, das pessoas e da vida .Trabalho com a psicoterapia psicanalítica e também atendo casos na terapia cognitiva. Faço atendimentos com jovens, adultos e idosos em consultório por 7 anos consecutivos e atendimentos online.Trabalho com ética, dedicação, cautela, sigilo e compromisso com o paciente.
Experiências em transtornos de ansiedade, estresse, fobia social, depressão , transtornos alimentares , transtorno de estresse pós traumaticos, transtorno bipolar e outros. Atualizações em cursos , seminários e congressospara resultados eficazes na clínica.
REJANE AMARAL DE SOUSA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *