Como ser menos ciumenta: confira 5 dicas infalíveis!

O assunto de nosso post de hoje é o ciúme, aquele “bichinho’’que vive te mordendo. Você já deve ter ouvido por aí aquelas frases clichês do tipo: “quem ama cuida’’ ou “o ciúme é essencial ao relacionamento’’ e ainda que o ciúme é sinônimo de amor. Pois é, essas frases só te deixam ainda mais ciumenta, e não contribuem em nada ao seu relacionamento. Mas nem sempre o ciúme é tão bom e necessário como dizem, principalmente se para você este sentimento está passando dos limites.

O ciúme excessivo não é ruim somente para o relacionamento, mas também para você. Esse sentimento quando nos consome consegue deixar nossa autoestima pra baixo, ou mesmo provoca raiva com consequências danosas. E foi pensando nisso que preparei algumas dicas para você conseguir controlar este sentimento que pode ser tão danoso. Confira quais são elas e aprenda como ser menos ciumenta!?  

1 – Reflita sobre o que te faz ser tão ciumenta

A gente não controla os sentimentos, você controla os pensamentos. Então começar a observar e refletir sobre as suas crises de ciúme e que tipo de pensamento torna-se gatilho para essa emoção tão forte; isto é essencial!

A dica é para que você observe os momentos que sente ciúme, por exemplo:

  • Se você sente ciúme do seu marido com os amigos, tente identificar o porquê;
  • Já se o seu ciúmes é relacionado a uma mulher em específico, por exemplo, uma colega de trabalho, tente perceber o que te leva a ter esse sentimento.
  • O que significa estar com os amigos e não com você? O que representa esta mulher ou colega de trabalho, seu comportamento para você?
  • O que você aprova em você e condena no outro?
  • Seu ciúme é algo provocado ou é um aprendizado que teve ao longo da vida?

Lembrando que o exercício proposto deve ser feito em um momento onde a tal crise de ciúmes passou. Quando estamos sentindo algo em excesso, nosso lado racional acaba ficando em segundo plano. Porém, quando o ciúme passa, você consegue visualizar melhor a situação. Se o seu racional entender que não há motivos, ou que toda a crise foi por besteira, a chance de você não reproduzir mais esse comportamento aumenta.

2 – Converse com seu (sua) parceiro (a)

Conversar com o parceiro/a em relação ao sentimento também pode ajudar. Quando estamos dentro de um relacionamento o diálogo sobre todas as situações se mostra essencial.

Que tal colocar todas as cartas na mesa e falar o(s) motivo(s) do seu ciúme? Muitos comportamentos podem ser evitados pelo parceiro(a). Existem ainda atitudes que ele(a) pode nem perceber, que te incomoda. Além disso, ele pode explicar sobre alguma situação e esclarecer todo um mal entendido.

Mas por favor, os ânimos não podem estar acirrados na hora dessa conversa, procure acalmar-se e depois em um lugar reservado a dois, abra essa conversa. Ninguém precisa dar “um show” em público para mostrar o valor que tem, certo?

3 – Não tente comparar com relacionamentos passados

Em um novo relacionamento, entenda as regras e entre em um consenso, vá aos poucos mostrando quais comportamentos você tem e o que te incomoda ver. Mas seja razoável, se você já entendeu que é algo inofensivo, que sua mente é capaz de criar coisas improváveis, não precisa criar regras tão rígidas, sob o risco de não deixar a relação nem amadurecer.

Relacionamentos passados são experiências únicas vividas por você e uma outra pessoa totalmente diferente, então cuidado com generalizações e repetições de comportamentos que detonaram seu namoro ou casamento. Você deve pensar que está em um novo relacionamento com outra pessoa e por isso os traumas do passado devem ficar para trás. Essa é a melhor forma de viver uma relação saudável.

4 – Aumente o seu amor próprio

Muitas mulheres ainda não sabem disso, mas quanto mais nos amamos, menor o ciúme que temos do nosso parceiro. Isso mesmo, uma pessoa bem resolvida é menos dependente do outro, e por conta disso o ciúme acaba sendo um sentimento não tão presente.

Aumentar o seu amor próprio vai além de se arrumar, cuidar do corpo, do cabelo e passar uma boa maquiagem. Faça atividades que te dão prazer, leia, faça cursos, ajude o próximo, todas essas coisas podem sim levantar nossa autoestima, pois são atividades que geram prazer e gratificação.

5 – Faça atividades sozinha ou com amigos

A nossa quinta dica veio para complementar a quarta. Os especialistas recomendam que pessoas muito ciumentas realizem atividades sozinha ou com grupo de amigos. Conforme a pessoa vai ganhando sua individualidade, sua autoestima vai aumentando até ganhar independência.

Acreditamos que dessa forma você vai estar com seu parceiro por prazer e assim, consequentemente, será uma pessoa menos ciumenta. Alem de deixá-lo também livre para estar com você por opção.

Quando o ciúme vem em excesso ele esconde uma dependência, uma necessidade de estar com o outro a todo custo. Conforme vamos ganhando a nossa independência e elevando a autoestima, esse sentimento acaba ficando para trás. Além de diminuir o ciúme, garantimos que sua relação será muito mais feliz.

Se mesmo entendendo e concordando com essas dicas, você ainda sente que não consegue fazer diferente, ou acha que esse é o seu jeito e que “que ama demais”, pode ser que você esteja sofrendo de dependência emocional, então precisa entender como isso é para você e como pode abrandar essa dificuldade, para que não corra o risco de começar um novo relacionamento e sobrecarregá-lo de suas necessidades mais profundas, esperando que o outro dê conta disso. Quer saber mais? Visite meu blog www.maisvidaecarreira.com.br ou marque uma consulta.

Katia Vega Kestenberg

Tenho 25 anos de formação em Psicologia, na área clínica, Recursos Humanos e Coaching nas empresas e para profissionais em transição de carreira ou desenvolvimento.

Atendo na abordagem de Terapia Cognitivo Comportamental especialmente ADULTOS com TDAH, ansiedade, problemas de relacionamento afetivo, familiar e profissional, bem como problemas de auto estima e autoconfiança.

Você vai fazer uma entrevista e não sabe como se apresentar e sair bem nela? Tem um currículo desatualizado ou nunca fez um? Quer montar sua rede de contato ( networking ) e trabalhar bem na suas redes sociais como o Linkedin?

Eu posso te ajudar nisso. Entre em contato agora e descubra como!
Katia Vega Kestenberg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *