Dislexia tem cura? Entenda as possibilidades de tratamento

A dislexia é um transtorno de aprendizagem de origem neurobiológica, caracterizada pela dificuldade na escrita, na fala e no soletrar. Vale lembrar que a dislexia nada tem a ver com falta de inteligência, sendo esta considerada normal ou acima da média nas pessoas que possuem esse transtorno.

Geralmente, o diagnóstico ocorre na infância,  durante a fase de alfabetização.

Após diversos estudos e acompanhamento de pessoas disléxicas, acredita-se que a dislexia seja hereditária. Por isso, caso alguma pessoa da família já tenha sido diagnosticada com o transtorno, é recomendado acompanhar de perto os primeiros sinais na criança, garantindo um diagnóstico mais rápido e melhor qualidade de vida para a criança.

Quais são os sintomas?

Os primeiros sintomas podem ser percebidos no começo da vida escolar, como problemas de atraso comparado às crianças da mesma idade para ler, escrever, soletrar e interpretar um texto. É comum que a criança que apresenta dislexia leia mal ou devagar, inverta a posição das letras, omita algumas ao escrever uma palavra e troque letras com sons ou grafias parecidas, por exemplo, confundindo o b com p, ou o  t com d.

À medida que a idade vai avançando, os sinais vão ficando cada vez mais claros. No ensino fundamental, é possível notar dificuldades na aquisição e automação da leitura, escrita e pouco conhecimento de rima. É comum também a presença de problemas de lateralidade – confundindo esquerda e direita – e dificuldades de concentração e memória.

Dislexia tem cura?

A dislexia não tem cura e, por ser um transtorno hereditário, não há cuidados preventivos. O melhor a ser feito é ficar atento aos sintomas que podem ajudar no diagnóstico precoce e, com o tratamento, buscar soluções para que a pessoa com dislexia consiga lidar com as dificuldades de aprendizado, leitura, entre outras,  e possa conquistar qualidade de vida.

Quanto mais cedo é feito o diagnóstico e o tratamento é iniciado, menores são os prejuízos na vida escolar e, consequentemente, menores serão as dificuldades emocionais decorrentes desse processo.

Como tratar a dislexia?

O tratamento adequado da dislexia é fruto de um longo processo que inclui acompanhamento  de profissionais de diversas áreas – fonoaudiólogos, psicólogos e pedagogos- que auxiliam o disléxico a enfrentar as dificuldades do transtorno, os preconceitos e possíveis danos emocionais. Outros profissionais também podem ser consultados para fazer uma avaliação mais detalhada, dependendo do caso.

O diagnóstico ser realizado ainda na infância é um ponto importante, pois os prejuízos escolares e emocionais tendem a ser menores. As crianças com dislexia geralmente não acompanham as turmas escolares no mesmo ritmo, mas conseguem se adaptar apesar das dificuldades, aprender e manter um convívio social normal. Se o diagnóstico não é feito na infância, os prejuízos na aprendizagem são maiores, podendo afetar também a vida profissional da pessoa.

Ou seja, quanto mais cedo começa  o tratamento, menores são os prejuízos na infância e posteriormente na fase adulta. Sem o tratamento adequado na fase escolar,por exemplo, o adulto com dislexia pode apresentar memória imediata prejudicada e problemas emocionais como traumas, ansiedade, depressão e  baixa auto-estima.

O apoio familiar é de extrema importância para o desenvolvimento e sucesso do tratamento. A família  precisa incentivar cada sucesso obtido e acompanhar cada etapa do tratamento com paciência. É importante também que os familiares busquem ler e se informar sobre o assunto,ajudando o disléxico a encontrar soluções que o ajudem a viver bem com o transtorno.

Disléxicos famosos

Apesar de todas as dificuldades que o disléxico enfrenta ao lidar com o transtorno, é possível controlá-lo e tratá-lo de maneira bastante eficaz, sendo possível levar uma vida satisfatória apesar das adversidades. E para mostrar como é possível ser bem sucedido mesmo possuindo dislexia, veja a lista de alguns famosos disléxicos que, além da carreira de sucesso, ainda se destacam em termos de talento, inteligência e criatividade.

  • Albert Einstein: um dos mais importantes e consagrados físicos da história, recebeu em 1921 o Prêmio Nobel de Física por suas contribuições à física teórica.
  • Steve Jobs: foi empreendedor, inventor, criador da Pixel e co-fundador da Apple e seu trabalho serviu de inspiração para outras empresas de tecnologia.
  • John Lennon: tornou-se famoso ao fazer parte dos Beatles e ainda é considerado um importante compositor e músico.
  • Walt Disney: um dos fundadores do famoso estúdio de animação que recebeu seu nome, além de ter sido produtor, diretor, filantropo e empreendedor.
  • Van Gogh: autor de quadros tão famosos que é um dos artistas mais influentes da história da arte e inspiração de filmes, músicas e estudos acadêmicos . É de sua autoria o quadro “A Noite Estrelada”.
  • Orlando Bloom: o ator alcançou fama ao estrelar comédias românticas, dramas e papéis de destaque em séries de filme como “O Senhor dos Anéis”, onde interpretou o elfo Legolas, e “Piratas do Caribe”, no papel de Will Turner.

Quer saber mais sobre Dislexia? Preparamos um artigo completo falando sobre o tema, basta clicar aqui para acessar.

Isabella Moreira Lasmar

Psicóloga clínica e especialista em teoria psicanalítica. Trabalho com psicoterapia de crianças, adolescentes e adultos na cidade de Contagem e Belo Horizonte (MG), e realizo atendimentos online orientados para uma questão específica e com enfoque mais breve. Da mesma maneira que no atendimento presencial, o trabalho do psicólogo no atendimento online é de uma escuta acolhedora e pautada no respeito à subjetividade de cada um, buscando trabalhar as angústias e questões individuais de uma maneira respeitosa e com a garantia do sigilo profissional.
Isabella Moreira Lasmar

Últimos posts por Isabella Moreira Lasmar (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *