Como educar os filhos? A educação infantil sob o olhar de Içami Tiba

O perigo de fazer sempre a vontade dos filhos

“Criar uma criança é fácil, basta satisfazer-lhe as vontades. Educar os filhos é trabalhoso!” – Içami Tiba

Muitos pais para livrarem-se das birras de seus filhos, atendem suas vontades, e muitas vezes acabam cedendo às crianças, dando-lhes o que elas querem. Estabelecer limites, saber o momento certo de dizer “sim” e quando dizer “não”, é essencial para educar os filhos.

Ser permissivo sempre, só contribui para reforçar o comportamento de seu filho, que quando chegar a idade adulta, será frustrado, porque nem sempre seus desejos serão satisfeitos.

“ O principal “veneno” da educação dos filhos é a culpa. Culpa de trabalhar fora, quando pensa que devia estar com os filhos. Culpa de estar com os filhos, quando acha que devia estar trabalhando.” – Içami Tiba

O fato dos pais trabalharem fora, pode gerar neles um sentimento de culpa entre estar com os filhos e o trabalho, e através desse sentimento muitos tendem a satisfazer as vontades dos filhos para compensar sua ausência.

Os deveres dos pais

É muito importante, que os pais dividam suas responsabilidades de pais, nos momentos de folga, tirem um momento para brincar, conversar, saber como foi a semana, a escola, esse tempo serve para que eles sintam a sua presença. Porque a presença dos pais é muito importante na formação da personalidade da criança.

“Os filhos são como navios, a maior segurança para os navios pode estar no porto, mas eles foram construídos para singrar mares”. Içami Tiba

Nós seres humanos, sentimos a necessidade de pertencimento, e o objeto primordial dessa necessidade é a família. O autor faz uma analogia dos navios com os filhos, e do porto com a família. É através da família que eles aprendem e apreendem todos os valores que levarão para as suas vidas.

Um dia quando ficarem adultos, eles irão adentrar ao novo mundo, vão crescer e atravessar mares. Portanto eduquem seus filhos, para que eles sejam capazes de construírem suas próprias vidas.

Pais educados, filhos educados 

“ Você quer educar? Seja educado. E ser educado não é falar “licença” e “obrigado”. Ser educado é ser ético, progressivo, competente e feliz.” – Içami Tiba

Aqui vou deixar uma história que explica o que o autor quis dizer, um texto conhecido como “Uma pescaria inesquecível”,  do jornalista e poeta norte-americano James Lenfestey.

Ele tinha 11 anos e, a cada oportunidade que surgia, ia pescar num cais próximo ao chalé da família, numa ilha que ficava em meio a um lago. A temporada de pesca só começaria no dia seguinte, mas pai e filho saíram no fim da tarde para pegar apenas peixes, cuja captura estava liberada. 

O menino amarrou uma isca e começou a praticar arremessos, provocando ondulações coloridas na água. Logo, elas se tornaram prateadas, pelo efeito da lua, nascendo sobre o lago. Quando o caniço vergou, ele soube que havia algo enorme do outro lado da linha.

O pai olhava com admiração enquanto o garoto, habilmente, e com muito cuidado, erguia o peixe exausto da água. Era o maior que já tinha visto, porém sua pesca só era permitida na temporada.

O garoto e o pai olharam para o peixe, tão bonito, as quebras volvendo para trás e para frente. O pai, então, acendeu um fósforo e olhou para o relógio. Pouco mais de 10 horas da noite, ainda faltavam quase duas horas para a abertura da temporada.

Em seguida, olhou para o peixe e depois para o menino, dizendo:

– Você tem que devolvê-lo, filho!

– Mas, papai, reclamou o menino.

– Vai aparecer outro, insistiu o pai.

– Não tão grande quanto este, choramingou a criança.

O garoto olhou à volta do lago. Não havia outros pescadores ou embarcações à vista. Voltou novamente a olhar para o pai. Mesmo sem ninguém por perto, sabia, pela firmeza em sua voz, que a decisão era inegociável.

Devagar, tirou o anzol da boca do enorme peixe e o devolveu à água escura. O peixe movimentou rapidamente o corpo e desapareceu. Naquele momento, o menino teve certeza de que jamais pegaria um peixe tão grande quanto aquele.

Os pais não podem ser reféns das vontades de seus filhos

“ O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. Um filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-los no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.” – Içami Tiba

Em uma relação familiar tem que existir equilíbrio entre o dar e receber. Os pais não podem nem devem ser reféns das vontades e desejos de seus filhos. É importante para o casal terem um momento de intimidade, muitos casais têm suas vidas sexuais prejudicadas por excessiva atenção da mãe para com a criança.

A  criança quando excede o limite, as birras que tomam toda a atenção da mãe excede também a privacidade dos pais, muitas vezes dormindo no quarto do casal, ou são tão apegados, que passam o dia inteiro na “barra da saia da mãe”. 

Esse tipo de educação fará com que seu filho pague um preço altíssimo por não ser capaz de ser tolerante às frustrações que possam encontrar no seu caminho.                                                                            

Ronise Maria Holanda de Araújo

Eu me chamo Ronise Holanda, sou psicóloga clínica desde o ano de 1997 (me formei em 1995), quando começei a atuar realmente . até os dias atuais. Psicologia é a minha paixão, é o que sei fazer de melhor, cuidar de pessoas, dos seus sofrimentos, poder ser alívio, alento, força, coragem através de uma escuta humanizada. Acredito que o processo terapêutico acontece através da empatia e do seu comprometimento em se ajudar. A abordagem utilizada será a psicanálise juntamente com o aconselhamento humanista Rogeriano, também utilizo da aplicação de técnicas da hipnose terapêutica. Sou muito suspeita em falar sobre meu trabalho, mas se quizer a minha ajuda psicológica, me chama e marque uma consulta.
Ronise Maria Holanda de Araújo

Últimos posts por Ronise Maria Holanda de Araújo (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *