Hiperatividade x Agitação: Como identificar a diferença?

NESTE TEXTO VAMOS ABORDAR AS DIFERENÇAS DE UMA AGITAÇÃO NATURAL E A HIPERATIVIDADE, O IMPACTO NA VIDA DE UM ADULTO E COMO LIDAR E TRATAR O TDAH.

Quem nunca se deparou com uma criança que corre pra lá pra cá e não para um minuto? Não é incomum, com a permanência do comportamento agitado nas crianças, ouvir de alguém que se trata de um hiperativo, mas o que é isso?

Para a surpresa da alguns, há uma diferenciação entre hiperatividade e agitação que pode ser sim difícil de estabelecer. Então como diferenciar uma agitação normal para uma agitação que atrapalha e prejudica a vida de uma pessoa? O TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade) explica esse fato.

A hiperatividade, sintoma do TDAH, é uma atividade motora excessiva quando comparada com crianças/ pessoas que vivem no mesmo ambiente.

Geralmente há uma dificuldade para manter o ritmo, a persistência, controle dos seus movimentos e ações.

Neste contexto, o que deve-se levar em conta é se a pessoa comporta-se assim todo o tempo e em todos os contextos (escola, família, trabalho, relacionamentos).

Ela parece estar distante durante um diálogo? Possui excessiva curiosidade a ponto de não se interessar por seus afazeres, demorar ou esquecer de cumprir metas/compromissos que possuem esforço mental prolongado?

Isso pode ser um sinal de alerta. Se for uma atividade que prenda o interesse, ela irá realizar com mais rapidez ou fazer o que é chamado de hiperfoco, mergulhar naquele tema sem se dar conta do tempo passando.

Já no caso de uma simples agitação, ela pode se dar apenas em um contexto, temporariamente ou por exigência do ambiente ou tipo de trabalho, mas quando isso cessa, ela é capaz de voltar a um ritmo considerado normal para os padrões comuns

Impactos negativos da falta de diagnóstico e tratamento de hiperatividade

Adultos com TDAH tem:

  • Maior número de acidentes
  • Multas de carro
  • Perda de emprego
  • Divórcios
  • Maior risco de uso de álcool e drogas
  • Tendência a cometer atos infracionários
  • Abandono escolar
  • Baixa auto estima e autoconfiança

Dicas para diferenciar a hiperatividade da agitação

HIPERATIVIDADE:

  1. Apresentar dificuldades em terminar tarefas ou projetos
  2. Distrair-se facilmente por coisas sem importância.
  3. Apresentar problemas de ansiedade e concentração
  4. Problemas com organização, planejamento e disciplina
  5. Em geral tem inteligência acima da média mais com resultados medíocres no trabalho ou faculdade
  6. Apresenta impulsividade, inquietude mental e no corpo (balançar as pernas, pés ou mãos)
  7. Tem em geral noção de quando errou e se arrepende.
  8. Dificuldade para dormir, mas quando dorme, pode ter dificuldade para acordar
  9. Falta de cuidado com as palavras

Quando o comportamento é agitado ou inquieto não existe patologia alguma. É um comportamento normal. Veja abaixo:

AGITAÇÃO:

  1. Comportamento que se dá como consequência de descobrir ou explorar seu ambiente
  2. Quando algo lhe interessa, presta a atenção.
  3. A criança se distrai quando algo não lhe motiva o suficiente.
  4. É alegre e tem vitalidade.
  5. Quando é travesso não implica ser violento.
  6. Relaciona-se bem socialmente.
  7. Ainda que desobedeça, a criança conhece onde estão os limites de comportamento.

Tratamento

Os sintomas do TDAH podem ser de fácil percepção e o diagnóstico é clínico, através de uma boa anamnese. Existem outros exames que podem confirmar o diagnóstico, mas um profissional experiente poderá ser o suficiente.

Geralmente Psicólogos, Psiquiatras, neuropediatras e neurologistas estão envolvidos nesse processo. No entanto, profissionais de outras áreas também são imprescindíveis para reforçar o tratamento: psicopedagogos, neuropsicólogos, entre outros.

Como minimizar os efeitos de um diagnóstico como este na vida e no trabalho?

1) Avalie qual o grau de comprometimento essa condição já lhe causou
2) Em geral existem consequências negativas para hiperatividade, impulsividade e distração, então busque estratégias para lidar com elas.
3) Saiba que ter a confirmação desse diagnóstico, não facilita em nada as demandas que você vai receber do seu chefe, professor, cônjuge ou família e terá que dar conta delas.
4) Aprenda técnicas e tenha recursos tecnológicos se tiver acesso a eles, para dar conta de lembrar de datas e compromissos importantes, bem como tarefas e etapas a cumprir
5) Difícil é começar, mas comece de pouco a pouco e vá aumentando gradativamente suas atividades.
6) Explique para as pessoas sem sentir vergonha ou mesmo ter necessidade de revelar seu diagnóstico como elas podem conseguir o melhor de você e te ajudar
7) Exercícios, faça pela manhã sempre que puder e aprenda à acalmar a mente, principalmente perto da hora de dormir
8) Procure um profissional que entenda do seu diagnóstico para te treinar nas suas dificuldades e trazer novos hábitos saudáveis para sua rotina

Você gostou do tema? Quer saber mais? Compartilhe e deixe seus comentários para que eu responda suas perguntas, até breve!

Katia Vega Kestenberg

Katia Vega Kestenberg

Tenho 25 anos de formação em Psicologia, na área clínica, Recursos Humanos e Coaching nas empresas e para profissionais em transição de carreira ou desenvolvimento.

Atendo na abordagem de Terapia Cognitivo Comportamental especialmente ADULTOS com TDAH, ansiedade, problemas de relacionamento afetivo, familiar e profissional, bem como problemas de auto estima e autoconfiança.

Você vai fazer uma entrevista e não sabe como se apresentar e sair bem nela? Tem um currículo desatualizado ou nunca fez um? Quer montar sua rede de contato ( networking ) e trabalhar bem na suas redes sociais como o Linkedin?

Eu posso te ajudar nisso. Entre em contato agora e descubra como!
Katia Vega Kestenberg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *