medo de dirigir

Medo de dirigir – Como perder o medo, exercícios e superá-lo

Você sabia que o medo de dirigir é uma coisa muito comum? De acordo com a Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), dois milhões de brasileiros não conseguem conduzir seus veículos em função do medo e da ansiedade que sentem ao volante.

Este mal não atinge apenas mulheres ou motoristas inexperientes. Todas as pessoas podem ser afetadas por essa fobia (medo intenso em relação a algo)! Segundo a Abramet, 80% dos cidadãos com medo de dirigir já têm a CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Quem enfrenta a amaxofobia (medo de dirigir) pode se sentir incapaz de dirigir, suar, ter sua frequência cardíaca aumentada e pensar em situações catastróficas. Isso pode acontecer tanto ao entrar em um carro quanto ao pensar em dirigir.

Mas… por que será que isso acontece? Existe cura para o medo de dirigir? No decorrer do texto responderei essas e outras dúvidas que você possa ter. Confira!

Por que temos medo de dirigir?

O medo de dirigir, ou amaxofobia, surge como qualquer outro medo. Nós entendemos o que deve ou não ser temido à medida que temos experiências positivas ou negativas em nossas vidas. Esse processo se chama aprendizado.

Logo, sentir medo é um processo natural que você treinou para que acontecesse, assim como andar de bicicleta, escovar os dentes ou cozinhar. Essa sensação desagradável surge em função da associação que você faz com a direção.

Para simplificar, posso usar um exemplo bem direto. Vamos lá?

Veja como funcionaria essa teoria na vida real

Imagine um homem de cinquenta anos. Essa pessoa dirige desde seus dezoito anos e nunca teve grande problemas com a direção. Entretanto, certa vez ele dormiu no volante e seu carro capotou.

O homem não se machucou e rapidamente recebeu alta do hospital. Pouco tempo depois ele já estava pronto para voltar a dirigir. Quando entrou no carro pela primeira vez após o acidente, ele paralisou. Sentiu seu coração disparar, suou frio e sua visão perdeu o foco.

Ao entrar no carro o homem começou a ter um ataque fóbico. Por quê? O acidente foi uma situação marcante em que essa pessoa não teve controle sobre a direção. Mesmo com toda a experiência que ele tinha, o ocorrido foi inevitável.

Como resultado, entrar em um carro fazia com que ele se lembrasse do que havia acontecido, se sentisse inseguro e seu cérebro reconhecia que aquilo representava um real risco para ele. Dessa forma o homem ficava paralisado de medo sempre que tentava dirigir.

Tome cuidado, nem todos os casos são tão óbvios

Neste exemplo, fiz questão de criar uma relação de causa e efeito muito fácil de ser entendida (a pessoa sofre um acidente e começa a ter medo de dirigir). Só que a realidade não é tão simples assim.

Casos como este realmente existem, mas é possível, também, desenvolver o medo de dirigir por vários outros motivos. Este medo pode surgir pelo excesso de cobrança de outras pessoas, pelo seu excesso de cobrança, inseguranças etc.

Por isso a maioria dos casos precisa ser analisado individualmente, só assim é que eu poderia dizer qual é a causa do seu medo de dirigir. Além disso, nem sempre conseguimos descobrir que evento que originou o medo, mas ainda assim é possível tratá-lo.

Qual é o seu estilo de motorista?

Cada pessoa tem um estilo diferente de direção. Por isso o medo pode se manifestar de formas diferentes. Algumas pessoas ficam ansiosas e aceleram demais, outras acabam sofrendo pequenos acidentes constantementes etc.

Para entender se você tem ou não amaxofobia é importante entender seu próprio comportamento. Para facilitar esse processo separei uma lista dos perfis de motoristas mais comuns. Descubra qual é o seu!

O professor

O motorista professor é aquele que adora ensinar. Sempre fala o que deve ser feito, critica o erro das outras pessoas e raramente presta atenção aos próprios equívocos. Pessoas com esse perfil não olham para si mesmas e “enganam” o medo ao ficar falando de outros motoristas.

O sabichão

O sabichão é aquela pessoa que sempre tem razão. Ele é “o melhor motorista”, todos os outros estão errados e apenas ele entende o que é o correto a ser feito. O sabichão raramente aceitaria ter medo de algo, já que ele disfarça o medo usando uma autoconfiança forçada.

O competidor

Competidor ou corredor é o motorista que sempre gosta de ficar na frente de outros carros. Ele acelera no sinal amarelo e vê o trânsito como sua pista de corrida. Quem tem esse perfil ignora o medo de dirigir ao focar em seu objetivo no trânsito, que é ficar em primeiro lugar.

O carrasco

O motorista carrasco tem só uma missão no trânsito: punir outros motoristas. Caso ele veja alguma coisa que discorde, ele sai do carro para brigar, faz fechadas perigosas e não se importa muito com o próprio carro.

Esse perfil de motoristas tende a esconder o próprio medo por trás da sensação de segurança e poder que existe em punir pessoas.

O escapista

O motorista escapista é aquela pessoa mais distraída. Ele coloca músicas e canta junto, se distrai na conversa com o passageiro, conversa ao telefone etc. Nesse caso, o motorista ignora o medo de estar dirigindo e foca em outras coisas, o que acaba oferecendo ainda mais riscos para sua segurança.

Como superar este medo?

Como já falei aqui no texto em alguns momentos, é possível superar o medo de dirigir. Isso não vai ser fácil, vai exigir dedicação, mas se você se esforçar poderá conduzir seu carro sem medo no futuro.

Para lhe ajudar nesse processo, separei algumas dicas que podem ajudar bastante.

Não pense muito

O medo é um estado psíquico  que surge quando pensamos em situações catastróficas que podem vir a acontecer no futuro. Quanto mais ficamos apenas pensando, maior o medo se torna e mais difícil é começar a fazer o que queríamos.

Por isso você não pode ficar pensando muito. Enfrente seu medo e comece a dirigir! Pegue o carro e dê uma volta pelo quarteirão. Pode começar aos poucos, mas o importante é começar.

Escolha bem suas caronas

Lembra que falei que algumas pessoas podem ter medo de dirigir por causa da cobrança de outras pessoas em cima delas? Você pode ser um desses casos. Então, escolha muito bem suas caronas!

Evite pessoas que criticam muito e ficam apontando seus erros. Dê preferência para as companhias que lhe elogiam, chamam a atenção para seus acertos e dão dicas objetivas sem lhe ofender.

Programe seu aprendizado

Não posso dizer que perder o medo de dirigir vai ser fácil. Será um grande desafio e você precisará se esforçar diariamente. Para garantir que isso aconteça, a melhor saída é criar um cronograma de aprendizado.

Monte um calendário de atividades, delimitando exatamente o que será feito em cada dia. Na segunda, por exemplo, você pode treinar a baliza, na terça dar uma volta no quarteirão, na quarta dirigir de noite etc.

Apenas tome cuidado para não exagerar. O aprendizado acontece aos poucos e cada pessoa tem seu tempo. Se você sentir que está se esforçando demais ou que o medo não permite fazer certas coisas, tente focar em objetivos menores.

Acredite em você

Sei que é difícil de acreditar. Sei que hoje você pode não perceber isso, mas tenho algo muito importante para dizer: você é completamente capaz de dirigir. Você, assim como outros seres humanos, possui os requisitos para ser um bom motorista.

A diferença entre você e alguém que dirige todo dia é a quantidade de treino. Ninguém nasce sendo um bom motorista, todas as pessoas têm medos e inseguranças, mas elas superam isso para fazerem suas atividades diárias.

Então, que tal seguir esse exemplo? Acredite em si mesmo. Entenda que hoje você não está dirigindo porque existe um obstáculo em sua vida, mas que assim que ele for removido será possível conduzir tranquilamente pela cidade.

Quando procurar ajuda profissional?

O medo de dirigir é algo aprendido e treinado. Quanto mais tempo a pessoa passa com esse estado psíquico, mais difícil é para sair dele. Posso, inclusive, dizer que na maioria dos casos não começa sendo uma amaxofobia. O medo vem aos poucos e aumenta gradualmente.

Em casos mais graves, as dicas que dei podem não ser tão úteis, já que a paralisia em função do medo será excessiva. Se esse é seu caso, você precisará da ajuda de um psicólogo.

Com o acompanhamento correto, por meio da orientação psicológica ou da psicoterapia, até os casos mais graves de medo de dirigir podem ser superados. Então, acredite: sua vida pode melhorar, basta procurar a ajuda correta!

Se você acredita que não precisa da ajuda de psicólogos, mas ainda não sabe como superar o medo, tenho mais uma sugestão. Leia o texto sobre como superar o medo, escrito pela psicóloga Ana Vilma. Ele pode lhe ajudar!

Wendell Coutinho

Olá! Meu nome é Wendell Coutinho. Sou Psicólogo clínico e minha abordagem é a Análise do Comportamento.

Tenho experiência com atendimentos online, bem como terapias breves e hipnoterapia. Estou aqui para lhe ajudar a superar os desafios da sua vida. Se você tem algo que lhe incomoda, quer ter um melhor desempenho no dia a dia, ou se precisa de uma ajudinha extra para atingir seus objetivos (pessoais, amorosos e profissionais), conte comigo.

Eu acredito em uma Psicologia prática, objetiva e aplicável ao cotidiano. Por isso não vejo minha profissão apenas como algo para tratar doenças (apesar de isso ser de extrema importância), mas sim como uma forma de potencializar os talentos individuais e permitir que qualquer pessoa possa crescer na vida e ter sucesso.

Além do Psicologia viva, você também me encontra em:

meu site: http://ambientepsi.com.br
meu blog: http://blog.ambientepsi.com.br
minha página no Facebook: https://facebook.com/ambientePsi/
Wendell Coutinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *