nomofobia

Nomofobia: o medo intenso de ficar sem se conectar

O que é a Nomofobia?

Nomofobia é o nome dado ao medo de ficar sem o celular, de não se poder comunicar e sentir-se extremamente ansioso pela perda e ausência deste. O termo vem do inglês: no sem, mobile  celular, phobia medo, fobia. Medo de não ter o acesso ao celular.

O uso não controlado das tecnologias digitais

Vemos que nos dias de hoje a tecnologia é importante e nos ajuda muito em precisão, estudos e pesquisas. Porém, o uso não controlado e além do normal trazem desconforto e inúmeros fatores que podem prejudicar a vida da pessoa que não desconecta e que permanece o tempo todo ligado.

Qualquer pessoa está suscetível à Nomofobia. Assim como os jovens, os adultos e funcionários de empresas que precisam estar conectados à internet, pelo fato de ser uma ferramenta de trabalho, podem ser também afetados.

As pessoas começam a se distanciarem umas das outras até o ponto da convivência interpessoal e familiar ficarem prejudicadas. Aos poucos, se não tiver um certo autocontrole ou procura de ajuda psicológica, a situação das relações sociais vão piorando até resultar, possivelmente, em transtornos psiquiátricos.

Possuímos a necessidade de estarmos conectados com os outros. Fomos criados para sermos seres sociais, que interagem com outros. Não se pode ficar isolado. Pessoas que vivem solitárias podem enlouquecer. Há várias formas de estar com os outros de forma presencial, porém o celular tem distanciado as pessoas nesse sentido.

É bem estranho não é? Queremos estar perto das pessoas com as facilidades e confortos que tecnologia nos oferecem, mas, sem percebermos, afastamos as que estão bem próximas de nós!

O “detox digital”

O celular é a conexão mais forte que as pessoas têm. Tudo se faz no celular. Torna-se uma fragilidade do ser  humano. É ilusão pensar que não se vive sem o celular. Precisamos fazer um detox digital. Isso significa que precisamos treinar em ficar algumas horas sem o celular, durante um dia ou mais, frequentar espaços que não permitem o uso do celular, etc.

Se alguém te ligar e você está no trabalho ou em sala de aula, você precisa habituar-se a não atender o celular. Sair da conexão é também proteger-se da intoxicação digital. Precisamos estar bem emocionalmente até para fazer o uso do aparelho, para que não sejamos inconvenientes em certas situações sociais.

Lembre-se: nós não somos onipresentes!

Nós não somos onipresentes. Não pense que você tem que responder todos os e-mails, apps e mensagens. O que nos preocupa é que a pessoa começa colocar sua própria segurança interna e sua vida em um aparelho. As crianças, adolescentes e adultos que vivem o tempo todo no celular estão nutrindo problemas de vícios, ansiedade, depressão, baixa autoestima, problemas interpessoais, no trabalho, em suas próprias casas e outros prejuízos diversos.

Se você precisa estar o tempo todo conectado no celular significa que você está completamente desconectado de você.

O vício de estar o tempo todo conectado se assemelha ao vício de um dependente químico segundo a psicóloga Elisa Faria: esse vício é equiparável ao de dependentes químicos, que sofrem crises de abstinência: quando o indivíduo está longe do dispositivo móvel, o organismo corta a liberação de dopamina, causando taquicardia e desespero”.  

O que acontece quando as pessoas não são respondidas imediatamente?

Entra-se em sofrimento por besteiras, a pessoa que está viciada entra em pânico porque não foi respondida ou sua mensagem não foi vista, e isso desencadeia toda sorte de processos ansiosos, estresse, depressão, etc.

Há também a questão da pessoa necessitar da aprovação dos outros por meio de redes sociais como o Facebook, Instagram, etc., colocando sua  autoestima diante da quantidade de likes por dia, ou de mensagem colocadas no App ao se postar selfies de diversas formas.

Precisamos saber controlar melhor esse instrumento que temos em nossas mãos, para que ele nos seja benéfico e para que não traga prejuízos para nossa vida em todos os sentidos.

Sintomas  de uma pessoa nomofóbica

  • Incapacidade de deixar o telefone desligado;
  • Baixa autoestima;
  • Irritabilidade;
  • Depressão ou instabilidade de humor quando o uso da internet está limitado;
  • Dificuldade nos relacionamentos sociais;
  • Preocupação constante em relação à bateria do celular;
  • Impaciência;
  • Necessidades de recompensa nas redes sociais de likes, curtidas e pontos em caso de jogos no celular;
  • Sentir-se constantemente preocupado(a) com e-mails, mensagens, chamadas, e de ficar sem a conexão ou se estiver em lugares que a conexão esteja ruim;
  • Ficar tempos longos no celular, dificuldades de ficar sem internet e usar o celular como válvula de escape, para não ter que enfrentar a realidade dos problemas;
  • etc.

Dicas  para quem quer evitar o vício do celular

  • Tente  ter um relógio  ou despertador para não precisar ficar olhando o celular  e logo querer checar outras coisas. Controle o tempo de suas atividades com um relógio de pulso.
  • Tente usar um aplicativo que lhe avise do tempo que você está usando o aparelho.
  • Tente dormir mais cedo e evitar ficar vendo o celular no escuro. O Celular vai estimular o seu cérebro a ficar acordado, e isso te dará uma péssima noite de sono, prejudicando suas tarefas e humor no dia seguinte.
  • Tente fazer intervalos durante o dia sem usar o celular.
  • Tire os aplicativos desnecessários em seu celular pois podem te distrair mais ainda.
  • Desligue as notificações de mensagens para que você consiga se concentrar mais e não ficar ansioso(a) em ter que verificar e responder.
  • Tente ficar de 1 a 2 horas sem mexer em celular. Comece com meia hora, assim você vai se habituando a diminuir o tempo no virtual.
  • Estabeleça mais tempo para  estar com seus familiares e amigos e ao sair tente diminuir as olhadas no celular.
  • Faça atividades físicas e coisas prazerosa, essas atividades ajudarão você a fica mais tempo longe do celular .

Espero que essas dicas possam te ajudem no controle do impulso de ficar no celular o tempo todo. Procure uma ajuda especializada que é o tratamento mais indicado para ter resultados eficazes e mais saudáveis

 

Referência Bibliográfica

https://canaltech.com.br/saude/nomofobia-vicio-em-dispositivos-moveis-pode-levar-a-depressao-135043/Acesso em 25/03/2019

NOMOFOBIA. Dependência do computador, internet, redes sociais? Dependência do telefone celular? O impacto das novas tecnologias no cotidiano dos indivíduos. King, Anna Lucia Spear; Nardi, Antonio Egidio; Cardoso, Adriana. São Paulo, SP: Atheneu, 2014. 327 pp.

https://www.ibccoaching.com.br/portal/confira-o-que-e-e-quais-os-sintomas-da-nomofobia/Acesso em 29/03/2019

REJANE AMARAL DE SOUSA

Ser psicóloga não apenas ter um diploma em mãos, mas saber ter uma escuta precisa, uma alma e uma mente pronta a ouvir o outro, analisar, interpretar e interviradequadamente em se tratando de suas queixas, angústias, conflitos, ajudandoo paciente ater uma melhor compreensão de si, das pessoas e da vida .Trabalho com a psicoterapia psicanalítica e também atendo casos na terapia cognitiva. Faço atendimentos com jovens, adultos e idosos em consultório por 7 anos consecutivos e atendimentos online.Trabalho com ética, dedicação, cautela, sigilo e compromisso com o paciente.
Experiências em transtornos de ansiedade, estresse, fobia social, depressão , transtornos alimentares , transtorno de estresse pós traumaticos, transtorno bipolar e outros. Atualizações em cursos , seminários e congressospara resultados eficazes na clínica.
REJANE AMARAL DE SOUSA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *