Orientação profissional: como escolher uma profissão?

O que você quer ser quando crescer?

Todo mundo já deve ter ouvido quando criança aquele velha perguntinha: “O que você quer ser quando crescer?”. Já quisemos ser tantas coisas e provavelmente a maioria de nós hoje não é nada do que disse querer ser naquela época.

A explicação para isto é simples, não tínhamos nem maturação para tomarmos decisões acertadas no nível de uma escolha profissional, nem mesmo autoconhecimento para claramente sabermos nosso querer ou nosso não querer em situações deste tipo, tão primordiais para nossa existência.

Na verdade ainda estávamos nos acostumando com a ideia de frequentarmos uma escola, ter dever de casa para responder, ou seja, eram tantas informações para o presente, como saber o que aconteceria no futuro?

Mas será que agora, depois de mais “crescidinhos”, estamos preparados para respondermos às demandas pessoais, sociais e familiares que nos cercam tomando decisões definitivas? Esta é uma excelente pergunta que tem tudo a ver com um processo chamado Orientação Profissional e pode ser esclarecida no decorrer deste artigo.

Então, vamos entender melhor sobre essa tal Orientação Profissional?

O que é Orientação Profissional?

É um processo de orientação breve que pode vir a ser bastante eficaz no auxílio das nossas escolhas e outras demandas referentes ao universo profissional.

Muitos pensam que a Orientação Profissional é uma verdadeira perda de tempo, mas vale considerar que passamos grande parte dos nossos dias envolvidos com nossas atividades laborais, desta forma, o caminho profissional que escolhermos trilhar será primordial para a construção do sentido da nossa vida.

Para quem é a Orientação Profissional?

Orientação Profissional é, sobretudo, para quem quer ser um profissional mais eficaz justamente por ter sido uma posição decidida de forma consciente, ou seja, é para aqueles que querem optar por uma tarefa de vida na qual o empenho será prazeroso e não penoso, bem como contribuinte para o crescimento e desenvolvimento das habilidades já presentes e para novas que poderão surgir.

Desta forma, cita-se que a Orientação Profissional pode ser desenvolvida com dois tipos de grupos de pessoas separados da seguinte forma:

  • Grupo mais conhecido popularmente, ou seja, aquele para o qual a maioria das pessoas já sabia da possibilidade de uma Orientação Profissional (Adolescentes e Universitários e/ou recém-formados).
  • Grupo menos conhecido popularmente, sendo que grande parte das pessoas nem imaginava que a Orientação Profissional era para eles também (Crianças, Profissionais atuantes e Aposentados).

O grupo mais conhecido popularmente

  • Adolescentes: para este público é valido um aprofundamento sobre as profissões, bem como uma possível escolha. Este tipo de acompanhamento envolve a exploração pelo território de suas habilidades, interesses, aptidões, enfim, de todas as demais características de sua personalidade pertinentes ao tema.
  • Universitários e recém-formados: se não estiverem satisfeitos com o curso escolhido por eles, podem ir em busca de um profissional capacitado para acompanhá-los nesse processo onde se trabalhará em cima de questões de mercado de trabalho, oportunidades, especializações mais adequadas para a área de formação, construindo um plano de carreira. Ou, quem sabe, uma total mudança de perspectiva e caminho profissional.

O grupo menos conhecido popularmente

  • Crianças: obviamente que não objetivando a decisão voltada especificamente para uma profissão, mas visando oferecer subsídios para as pequenas escolhas do dia a dia, enfatizando questões de
    responsabilidade, aprimorando o autoconhecimento, a autoestima, entre outros importantes conceitos.
  • Profissionais atuantes: podem ter se passado anos e você está empregado, ganha até bem, conquistou um lugar interessante profissionalmente, mas não encontra sentido em nada disso. A orientação profissional também é para você, ou melhor dizendo, uma reorientação profissional.
  • Aposentados: o processo de envelhecimento pode causar alguns prejuízos emocionais, afinal, há a diminuição de certas habilidades motoras assim como outros fatores. Coisas que podíamos fazer antes com facilidade hoje não conseguimos mais com tanta maestria.
    Como se isto tudo não fosse suficiente, ainda somos afastados daquilo para o qual passamos a vida inteira nos dedicando. A Orientação Profissional pode auxiliar o aposentado na construção de um novo sentido de vida tanto por meio da descoberta de uma atividade para complementar a renda quanto na descoberta de uma atividade simplesmente prazerosa.

Orientação profissional: 4 passos para progredir na sua carreira

Principalmente mulheres costumam passar por sentimentos de insatisfação quando interrompem suas carreiras por conta da maternidade. No entanto, quando seus filhos já estão crescidos bate uma vontade de retornar ao mercado de trabalho, reconquistar a independência financeira e melhorar a autoestima.

Se você é uma dessas mulheres, uma orientação profissional é o que você precisa! Isso porque um aconselhamento dado por um psicólogo pode ajudar você a resolver alguns desses problemas. Por exemplo, dar a você as condições para procurar um emprego adequado, uma boa preparação para entrevistas, aprimorar seu autoconhecimento e até reativar seus contatos profissionais.

1. Entrevistas e procura de emprego

Olhar nos classificados dos jornais, pesquisar em sites na internet e se organizar para uma entrevista são atividades nada fáceis para quem busca um emprego. Porém, uma orientação profissional pode oferecer a você conhecimento para a reinserção no mercado de trabalho. Esse conhecimento abrange desde a elaboração de um currículo, elemento essencial para seu marketing pessoal, até a preparação para a entrevista.

Quanto ao currículo, a orientação profissional vai trabalhar com você no sentido de selecionar as informações mais importantes para o cargo de maneira clara e objetiva.

Para a fase de entrevistas ou processos seletivos em geral, o orientador profissional ajudará você a procurar e identificar quais as suas dificuldades durante uma entrevista, oferecendo alternativas para lidar com elas. Dessa forma, toda aquela ansiedade pré-entrevista será substituída por uma atitude de autoconfiança.

2. Autoconhecimento

Aumentar o conhecimento de si mesma é uma outra habilidade encontrada na orientação profissional. O psicólogo encarregado dessa tarefa, pode ajudar você com processos reflexivos que darão destaque aos seus pontos fortes. Também ajudará a conhecer seus valores e a não ficar perdida quanto aos seus desejos pessoais.

O processo de autoconhecimento também permitirá fortalecer a tomada de decisões. Quando você conhecer mais sobre si é possível fazer escolhas mais seguras tanto para o mundo do trabalho quanto na vida pessoal, no relacionamento conjugal e com os filhos.

3. Alinhar habilidades pessoais com a profissão

Quando se sente decepcionada com a carreira, achar que está produzindo mais que o trabalho exige, ter uma rotina de trabalho desgastante ou retorno financeiro baixo pode ser um sinal de que suas habilidades pessoais não estão adequadas com a profissão.

Durante a orientação profissional, você consegue obter condições de avaliar quais são as habilidades requeridas para determinada profissão. E acompanhado pelo processo de autoconhecimento, você será capaz de alinhar suas próprias habilidades com as especificações da profissão. Assim, vai ser provável fazer um casamento entre a sua personalidade e a profissão, permitindo trazer satisfação profissional.

4. Acionar contatos profissionais

Geralmente quem fica algum tempo fora do mercado do trabalho sofre de insegurança para retomar contatos profissionais. Bate aquela vergonha de pedir uma indicação de emprego ou de falar com a vizinha que você mudou de ramo e precisa de novos clientes.

Para acabar com esse desconforto, o orientador profissional auxiliará você na maneira eficaz de buscar contatos profissionais. É preciso ter um suporte psicológico para trabalhar as pessoas que estão a sua volta para entender e cooperar nesta fase de transição e renovação na carreira. Pessoas que já fazem parte do seu ciclo social como familiares e amigos podem ser ótimos disseminadores para você acionar contatos profissionais.

Dessa maneira, como vimos, uma orientação profissional correta pode ajudar no sucesso profissional. E nada melhor do que ter como aliado um psicólogo qualificado para solucionar seus problemas. Que tal procurar por um aconselhamento através de uma plataforma de orientação psicológica online?

Gostou das oportunidades que uma boa orientação profissional pode dar a você? Quer saber mais sobre o mundo do trabalho? Aproveite e saiba como conquistar seu emprego dos sonhos!

Como a mudança de postura ajudar a alavancar sua carreira

"Orientação profissional: como escolher uma profissão?", 5 out of 5 based on 1 ratings.
Suellen Mendes Toda

Suellen Mendes Toda

Como psicóloga, é necessário que haja o compromisso social de saber acolher o outro e faz parte deste acolhimento o ouvir, a empatia, a humanidade, a sensibilidade à dor do outro, o respeito, o sigilo, a ética entre tantas outras virtudes que são desenvolvidas para além da técnica da ciência. Por outro lado é preciso também que se tenha um preparo fundamentado nos conhecimentos que embasam e circundam a Psicologia. É com a soma destes dois lados do fazer psicológico que estabeleço minha atuação, me colocando no lugar de auxiliadora na caminhada de superações e buscas de sentidos diante de todas as dificuldades que a vida nos apresenta.
Meus atendimentos são feitos de forma individual tanto de adolescentes quanto de adultos com demandas de Orientação Profissional, depressão, ansiedade, estresse, dificuldades de aprendizagem ou que se encontrem em outras situações de prejuízo emocional.
Suellen Mendes Toda

Últimos posts por Suellen Mendes Toda (exibir todos)

3 thoughts on “Orientação profissional: como escolher uma profissão?

  1. Olá gostei do site e da orientação, Estou desempregado a 4 anos estou fazendo faculdade, estou no ultimo semestre de finanças, não consegui estagio e nem emprego ainda, estou pensando em desistir da faculdade e arrumar qualquer serviço mesmo, porém se eu não completar eu também não vou saber se vou arrumar um emprego na área que estou cursando, estou com algumas duvidas acho que preciso de orientação de quem já passou por isso e o site me ajudou um pouco, parabéns!

    1. Olá Cleberson, que bom que nosso conteúdo pode ser relevante para você e pode te ajudar, mas pelo seu relato o ideal seria conversar com um de nossos psicólogos da base, pois são profissionais amplamente capacitados para te ajudar dá melhor forma possível, caso tenha interesse de entrar em contato com algum deles utilize este link: https://www.psicologiaviva.com.br. Esperamos que tudo ocorra bem!

Deixe uma resposta