estágios do luto

Os 5 estágios do luto

Infelizmente não somos acostumados a conversar sobre a morte, nossa cultura não aborda isso com naturalidade. Pelo contrário, a maioria das pessoas pensam algo tipo: Nem pense nisso…”, “Fecha a boca…”, “Não fale para não atrair….

Uma referência muito utilizada na compreensão do processo de elaboração de luto é a autora Elizabeth Kubler-Ross (1926-2004). Ela sugere que uma pessoa em iminência de morte (pacientes terminais) e as pessoas com vínculo afetivo (familiares, amigos, colegas) podem passar por até cinco estágios, geralmente nesta ordem e com peculiaridades:

Primeiro estágio: Negação

Consiste em uma fase de negação do acontecimento; a pessoa não acredita, acha que pode haver enganos. Esta fase está sujeita a ser vista como forma de defesa de algo improvável e pode durar minutos ou até mesmo anos (como nos casos das pessoas que continuam sempre esperando seus entes queridos).

Pessoa em iminência de morte e pessoa com vínculo afetivo: logo duvida, não acredita, pode achar que o outro está mal intencionado, tem dificuldade em ter a clareza desta realidade, pode querer esquecer isso e até mesmo buscar fatos e argumentos que neguem a realidade.

Segundo estágio: Raiva

Sentimento de raiva, dor, medo e culpa que podem variar muito em intensidade e freqüência. Esta fase é a mais delicada, a pessoa está incongruente e pode ter atitudes desagradáveis, piorando o clima diante de um tratamento ou em um velório.

Pessoa em iminência de morte e pessoa com vínculo afetivo: sente raiva de quem informou, do fato que causou, de alguém que poderia ter evitado, e se sujeita até a questionar Deus como sendo injusto, podendo ter reações imprevisíveis;

Terceiro estágio: Negociação/Barganha

A revolta anterior não trouxe alívio, aí vem os pensamentos sobre fazer algo para reverter o acontecido.

– Pessoa em iminência de morte e pessoa com vínculo afetivo: pensa em fazer promessas, pacto com Deus, receber uma graça ou milagre.

Quarto estágio: Depressão

Insucesso anterior gera esta fase de grande sofrimento, a maior colaboração de quem está ao lado pode ser um ouvinte paciencioso e apenas estar ao lado.

– Pessoa em iminência de morte e pessoa com vínculo afetivo: chora, se isola, repensa sobre a vida, quer deixar a vida do outro organizada de uma forma melhor, percebe a falta que o outro fará na sua vida.

Quinto estágio: Aceitação

Com o sofrimento um pouco mais suavizado, a pessoa faz reflexões e tem percepções mais congruentes com a situação, consegue ter “tranquilas expectativas”, facilitando a aceitação do ocorrido e possibilidades de reação.

– Pessoa em iminência de morte e pessoa com vínculo afetivo: percebe que nem tudo em sua vida está acabado e perdido, mesmo com dificuldades e limitações tem possibilidades de se reestruturar sem a pessoa perdida.

Por mais que seja difícil todos nós precisamos aceitar que um dia vamos morrer e precisamos estar conscientes que ao longo da vida vamos sentir a dor da perda de pessoas queridas.

Sempre que for conveniente, sugiro que todos conversem sobre a morte, como acredita que ela será; onde pode ser enterrado o corpo ou ser lançado se for cremado; quais seriam as últimas vontades e como os parentes próximos devem fazer com seus bens materiais e os órgãos, se podem ser doados.

Isso poderia ajudar muito as crianças e adolescentes a diminuírem seus traumas, e facilitaria a todos passarem pelos estágios de uma forma mais ágil.

Às pessoas que estão com dificuldade na elaboração do luto, aconselho que busquem um profissional da psicologia para auxiliar.

Gisele Maraschin

Atuo desde 2007 e ser psicóloga é poder desfrutar da paixão e admiração que tenho pelo ser humano. É poder ajudar alguém nem que seja só por uma escuta confiável. É poder compreender e fazer o outro se compreender melhor para fazer boas escolhas. Ser psicóloga é uma mistura de satisfação e gratidão!
Gisele Maraschin

3 thoughts on “Os 5 estágios do luto

  1. Bom, minha avó faleceu dia 01/04/2019, e eu ainda não to sabendo lidar. Minha família entrou em declínio pois tudo era ela, eu tenho 17 anos, tenho depressão desde os 10. Já tentei diversos suícidos pra tentar acabar com a minha vida de merda.

    1. Entendo a situação difícil que você e sua família estejam passando, mas saiba que essa dor também vai passar, e que sua vida é importante para muita gente. Abraço e que Deus conforte a vocês

    2. Olá, Victória,
      lamento por acontecer essas coisas desagradáveis, realmente os seres humanos têm dificuldades em lidar com coisas ruins, inesperadas e problemas. Por isso, nós psicólogos estamos sempre estudando e conhecendo sobre as pessoas, e nosso maior objetivo é ajudar. Então, busque um acompanhamento de um psicólogo para te ajudar no seu desenvolvimento pessoal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *