O que fazer por uma pessoa que está com depressão profunda?

“Aprenda a  amar com todo o seu coração e aceitar o lado desagradável dos outros (e os seus). Qualquer um pode amar uma rosa, mas é preciso ter um grande coração para incluir os espinhos.”

                                                                                                                          Ditado Budista

Primeiro é importante saber o que é depressão, porque muitas pessoas confundem tristeza com depressão. Vamos entender um pouco melhor.

Depressão x tristeza

Tristeza é uma reação que geralmente se apresenta quando passamos por situações que nos aborrecem, magoam ou saem de nosso controle. A tristeza se caracteriza justamente por ser uma emoção natural, associada a eventos específicos, e é um estado provisório, transitório e passageiro.

Enquanto que a depressão é uma doença grave, que causa alterações emocionais importantes e que influenciam diretamente na forma como a pessoa percebe, sente e se relaciona com o mundo. 

As pessoas com este problema tendem a ignorar os pontos positivos da vida, focando apenas nos pontos negativos. 

A depressão ainda é uma dor silenciosa e seus sintomas nem sempre são identificados e tratados adequadamente. Quando isso ocorre, as consequências podem ser catastróficas e levar a casos extremos, como tentativas de suicídio.

Os três níveis de depressão

Enquadramos a depressão em três níveis: ligeira, grave e extremamente grave. Vamos entender como podemos fazer essa classificação. 

  1. Depressão ligeira: os principais sintomas são ansiedade, humor instável e crises de choro.
  2. Depressão grave: os sintomas podem ser falta de apetite, dificuldade em dormir, falta de interesse e prazer nas atividades sociais, sensação de cansaço e falta de concentração. Os movimentos e o raciocínio são mais lentos, em alguns casos a pessoa fica agitada e ansiosa.
  3. Depressão extremamente grave: ter ideia de morte e/ou suicídio e sempre alimentar sentimentos de culpa e inutilidade.

A diferença entre tristeza e depressão é que a última limita a qualidade de vida do paciente. O paciente não lembra o que motivou a sua angústia duradoura e os sintomas tão intensos. A tristeza tem um motivo claro, sendo resolvido ou se aceito a melancolia vai embora. É passageira e transitória.

Causas da depressão

Existem os fatores genéticos, doença que pode ser provocada por uma disfunção bioquímica do cérebro. Nem todas as pessoas com predisposição reagem do mesmo modo diante de fatores que funcionam como gatilho para as crises, como exemplos: acontecimentos traumáticos na infância, estresse físico e psicológico, algumas doenças sistêmicas (hipotireoidismo, consumo de droga, certos medicamentos). 

As mulheres são mais vulneráveis em virtude da oscilação hormonal.  

Existem dois fatores que ajudam a desencadear a depressão.

  1. Fatores orgânicos – genética, neurotransmissores, consumo de droga, doenças cerebrais, doenças crônicas.
  2. Fatores psicológicos –  trauma na infância, estresse emocional, depressão pós parto. 

Os sintomas de depressão podem variar de leves a graves e podem incluir: 

  • Incapacidade de sentir alegria e satisfação com a vida;
  • Sensação de vazio, angústia e incompreensão;
  • Falta de motivação e desinteresse geral;
  • Baixa autoestima, ansiedade, desespero e irritação;
  • Pensamentos negativos e falta de esperança;
  • Insônia ou excesso de sono;
  • Perda ou aumento de peso;
  • Falta de interesse ou apetite sexual;
  • Falta de concentração e lapsos de memória;
  • Fadiga ou falta de energia;
  • Agitação ou letargia;
  • Dores físicas frequentes e sem causa orgânica;
  • Desejo de morte e tentativas de suicídio.

Qual o melhor tratamento para a depressão?

Medicamentos (receitados por um médico psiquiatra) e psicoterapia.

Muitas pessoas, principalmente familiares me perguntam o que elas podem fazer para ajudar uma pessoa com depressão. Eu sempre falo que não existe uma cartilha pronta com todas as dicas e conselhos, mas que existe algumas atitudes ou palavras simples que você pode fazer para ajudar essas pessoas a se sentirem melhor.

Hoje vou escrever algumas dicas simples que você pode realizar para ajudar uma pessoa que está passando por esse momento difícil de depressão profunda ou risco de suicídio. Confira algumas delas:

1- Ouça mais e fale menos

Demonstre que você está ali com o coração aberto para ouvi-la e ajudá-la.

2 – Incentive a procura de ajuda profissional

Incentive essa pessoa a procurar ajuda profissional (médico, psicólogo) e ofereça a sua companhia nas consultas.

3 – Fique perto 

Se você perceber e achar que essa pessoa está passando por perigo imediato não a deixe sozinha. 

4 – Previna-se

Esconda todos os objetos de casa que possam provocar a própria morte da pessoa. Atitudes de prevenção 

5 – Mantenha sempre contato 

Acompanhe sempre a pessoa naquilo que está fazendo e passando. 

6 – Não condene

Acredite nos sentimentos das pessoas e valorize sempre o que é exposto pela pessoa.

7 – Não banalize

Não desvalorize os sintomas da doença. Depressão é uma doença e não é frescura.

8 – Não opine

Não exponha opiniões vagas sem conhecimentos concretos. 

9- Não dê sermão

O sermão não será interpretado como algo positivo para a pessoa. 

10 – Não utilize algumas frases 

Tais como: “levanta a cabeça, deixa disso”; “pense positivo”; “a vida é boa”, etc.

Por isso, é muito importante que o deprimido possa contar com o apoio de sua família, dos amigos e o acompanhamento de profissionais especializados, para que assim consiga superar a doença e encontrar, novamente, razões para ter uma vida plena e feliz.

O ideal é oferecer o seu apoio com responsabilidade. 

E aí está pronto para ajudar?

 

Escrito por:

Rosane Tavares de  Almeida

Psicologa Clínica e do Emagrecimento

www.psicologiaviva.com.br/psicologos/rosanetavares

site: www.rosanetavares.com.br

 

Rosane Tavares

Olá! Seja bem vindo. Tenho 20 anos de formação em Psicologia, na área clínica e Coaching do emagrecimento. Atendo na abordagem psicanalítica e Arteterapêutica crianças, adolescentes e adultos que estão passando por processos depressivos, transtorno de ansiedade, síndrome do pânico, medos, fobias e obesidade. Trabalho com a psicoterapia ajudando os pacientes a se empoderarem frente as circunstancias do dia a dia e melhorar sua qualidade de vida. Entre em contato comigo para saber mais e marcar seu horário.
Rosane Tavares

Últimos posts por Rosane Tavares (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *