Por que as pessoas não melhoram da depressão

Por que as pessoas não melhoram da depressão?

São muitas as pessoas que têm o diagnóstico de depressão e fazem algum tipo de tratamento nos dias de hoje. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 300 milhões de pessoas vão desenvolver algum tipo de Transtorno do Humor Depressivo em algum momento da vida, e isso é extremamente alarmante. Os problemas relacionados à saúde mental já são, hoje, o maior motivo de incapacidade aguda nas pessoas de todo o mundo.

A maioria dessas pessoas, entretanto, não têm acesso a um tratamento adequado; passam por avaliações superficiais com profissionais pouco qualificados e acabam fazendo o uso inadequado de medicamentos psicofarmacológicos. Assim, adoecem com mais severidade, causando danos irreversíveis de seu funcionamento psíquico e dificultando a reação participativa do paciente no seu próprio processo de recuperação.

As disfunções psíquicas podem estar: na volição e psicomotricidade (falta de disposição, baixa energia, sensação de carga, de peso), prejuízo na cognição (no raciocínio e na memória), dano na autovaloração (baixa autoestima), disfunção na área do prazer, afetividade negativa, diminuição na sensibilidade, entre outros sintomas.

Deseja melhorar da depressão? Invista em um projeto de vida!

Os pacientes precisam compreender que o tratamento nunca é uma coisa só: não existe nada milagroso. Portanto, o tratamento precisa abarcar um conjunto de coisas que vão ser unidas em um projeto de vida que irá ressignificar e refazer a rotina do paciente, reconstruindo sua neuroplasticidade.

Esse tratamento deverá abrir um verdadeiro leque de opções com foco para o reequilíbrio do bem-estar psíquico, físico e social da pessoa. Cada paciente vai buscar fazer aquilo que está ao seu alcance, na sua região. Essas vertentes do novo projeto de vida podem ser divididas em:

  • conduta psicológica;
  • conduta psiquiátrica;
  • biofeedback;
  • neurofeedback;
  • estimulação magnética transcraniana;
  • acupuntura;
  • homeopatia;
  • fitoterapia;
  • florais de Bach;
  • aromaterapia;
  • atividade física;
  • alimentação;
  • sono;
  • higiene corporal;
  • yoga;
  • meditação;
  • técnicas de relaxamento;
  • atividades sociais;
  • atividades religiosas;
  • atividades laborais;
  • atividades domésticas;
  • atividades de lazer;
  • vínculos afetivos;
  • obtenção de mais informação;
  • etc.                     

Conduta Psicológica

Aqui entra o trabalho do psicólogo clínico, especialista em saúde mental, que inicialmente deverá fazer um bom psicodiagnóstico com investigação da historicidade, de possíveis traumas, da personalidade, das peculiaridades da existência do paciente como ser-no-mundo e suas expectativas.  

Esses profissionais fazem uso de métodos e técnicas para desenvolver o autoconhecimento e autorrealização para auxiliar o paciente a solucionar problemas e enfrentar dificuldades, melhorando a sua capacidade de resiliência e eliminando os comportamentos de procrastinação.

O melhoramento do desenvolvimento da autoestima sempre é incluído, assim como a melhora nas relações afetivas/familiares. Ao longo de todo esse processo de trabalho psicológico, o apoio a esses pacientes é fundamental. Isso tudo irá auxiliar na compreensão do paciente e elaboração do projeto de vida.

O trabalho do psicólogo geralmente é semanal, com atendimento de 50 minutos, e a duração do período de avaliação, tratamento e acompanhamento é extenso, são meses ou até anos. Entretanto, uma vez feito com eficácia, é o tipo de tratamento que traz mais resultados positivos.

Conduta Psiquiátrica

Alguns pacientes têm uma disfunção no funcionamento dos neurotransmissores (em especial: serotonina, dopamina e noradrenalina) e precisam optar por recursos específicos para melhorar a sua neuroplasticidade e ativar conexões cerebrais.

Para isso, as medicações psicofarmacológicas são as mais indicadas, mas, também, são as mais mal administradas: pela falta de controle do paciente e pelos profissionais que não oferecem uma avaliação, planejamento e acompanhamento adequado (com começo, meio e fim).

Infelizmente, ainda há os que facilitam a reprodução indiscriminada de receitas médicas e a distribuição de medicamentos psicofarmacológicos no serviço público de saúde e demais farmácias.

Essas medicações são indicadas apenas para pacientes com grau de adoecimento moderado a grave, que têm alterações neurológicas significativas. É importante que um psiquiatra administre esse tipo de tratamento, optando pelo uso de menores doses e cuidando dos efeitos colaterais. Geralmente essas medicações vão apresentar resultados a partir de quatorze a vinte e um dias, e o uso é durante seis meses ou mais.

Biofeedback, neurofeedback e estimulação magnética transcraniana

Outros métodos usados para atuar no melhoramento do funcionamento cerebral são os de condicionamento operante: o biofeedback (age no sistema nervoso periférico, como no batimento cardíaco e resposta galvânica da pele) e o neurofeedback (age nos sinais do sistema nervoso central, cérebro).

Eles captam sinais biológico por sensores e são uma forma de treinamento autorregulatório cerebral. O paciente, assim, aprende a fazer uma análise e autocontrole da atividade elétrica do cérebro.

Há também a estimulação magnética transcraniana que são as ondas magnéticas. É uma técnica não invasiva que usa dos campos magnéticos para estimular pequenas regiões do cérebro por indução eletromagnética através de um gerador. Esses métodos são aplicados em sessões que trazem resultados mais rápidos que os medicamentos, e só podem ser executados com profissionais formados para esse fim.

Acupuntura

A acupuntura também estimula as terminações nervosas existentes na pele e nos tecidos subjacentes, principalmente nos músculos. Esta estimulação segue por meio de fibras nervosas periféricas até o sistema nervoso central, incrementando a liberação de neurotransmissores relacionadas com o controle do humor e das emoções.

Homeopatia

A medicina natural e a popular contribuem com indicações de opções de remédios alternativos para casos mais brandos do adoecimento. A homeopatia irá compreender o que gerou a perturbação na energia vital do paciente para reestabelecer o seu equilíbrio normal. Na homeopatia usa-se substâncias extraídas do reino vegetal, mineral e animal. Elas são manipuladas e diluídas para serem ingeridas oralmente.

Fitoterapia

A fitoterapia auxilia por meio de plantas medicinais em suas diferentes preparações, como pelo uso de chás: erva-de-são-joão, kawa-kawa, erva-doce, cominho, noz-moscada e gengibre.

Florais de Bach

Os florais de Bach são composições de essências de flores utilizados para tratamentos emocionais. Eles agem ajudando a assumir o autocontrole e equilibrando os pensamentos negativos, colocando a pessoa em um estado de maior tranquilidade e reflexão.

Aromaterapia

A aromaterapia é o uso de óleos essenciais que estimulam o paciente através do olfato. As moléculas dos óleos entram em contato com os receptores nervosos responsáveis pelo olfato, para, assim, iniciar uma onda de reações do sistema límbico (área do cérebro responsável pela geração e manutenção das emoções). Os melhores óleos essenciais para humor deprimido são de alecrim ou grapefruit (toranja), e ainda os de lavanda e eucalipto.

Atividade física

Já a atividade física deve ser feita por pelo menos 30 minutos todos os dias. Ela fará aumentar a quantidade de endorfina (estado de endorfina natural), que gera uma sensação de bem-estar por um tempo, e ainda vai auxiliar na regulação da neurotransmissão da noradrenalina e da serotonina que vão aliviar os sintomas depressivos.

Alimentação

A alimentação na depressão ou é diminuída, por falta de apetite e/ou por alteração no paladar, ou é aumentada por compulsões alimentares, por vontade de comer em excesso. Aquele que come pouco, acaba ficando desnutrido e enfraquece o seu corpo, diminuindo o seu sistema imunológico. E aquele que come muito deixa seu corpo ácido pelos excessos de carboidratos, gorduras saturadas e açúcares.  

O ideal é comer “comida” e não comer “produtos alimentares”, ou seja, deve-se dar preferência às proteínas de boa qualidade: gorduras saudáveis (ômega 3 e óleo de coco), vegetais, legumes e frutas. Deve-se evitar comidas industrializadas.

Sono

Infelizmente é muito comum esses pacientes terem dificuldade em dormir, então existe a necessidade de manter o esforço para permanecer na cama na quantidade de horas habituais no período sem o transtorno, tentando adormecer.

Geralmente as pessoas precisam de oito horas de sono por dia. A pessoa que sofre de depressão deve evitar levantar, ver programas de televisão, usar smartphone. Se você está com dificuldades de dormir, prefira ouvir músicas apropriadas, especialmente as com ondas sonoras delta.

Higiene corporal

Com o aumento dos sintomas depressivos é muito comum que o paciente vá ficando descuidado, desleixado com aparência e higiene corporal, pela falta de motivação e energia em exercer as mais primordiais atividades. A atividade de se cuidar nesse sentido, em especial, pode trazer inúmeros prejuízos como: problemas bucais, infecções, afastar pessoas próxima e reduzir ainda mais a autoestima.

Yoga, meditação e técnicas de relaxamento

A yoga, meditação ou qualquer técnica de relaxamento proporcionam a melhora na respiração, que equilibra o fluxo de oxigênio no organismo e assim ajuda a melhorar as funções psíquicas do paciente (como a memória, raciocínio e concentração).

Atividades sociais

Participar de eventos sociais permite distração, acolhimento e conforto, pois nós como seres humanos precisamos ter a sensação de pertencimento de um grupo (seja ele qual for). A atividade social é uma forma de afastar o sentimento de solidão frequentemente sentido por pessoas depressivas, por isso, é importante que o paciente participe de eventos de qualquer tipo: festa no bairro, aniversários, festas tradicionais como a junina, confraternizações, campanhas de doação, eventos de caminhadas, etc.

Atividades religiosas

A religião é uma prática milenar e ela faz parte da historicidade de cada pessoa. A religiosidade é muito importante para as pessoas por oferecer respostas, tranquilizar, fornecer amparo e alimentar a fé gerando melhora na qualidade de vida da pessoa que está sofrendo com a depressão.

Atividades laborais

O trabalho é uma atividade humana que envolve o homem como um todo, sua dimensão física, psíquica e social, exercendo grande importância na construção da subjetividade humana.

É essencial para gerar valoração da identidade e a sensação de colaboração com a comunidade, que aumenta a autoestima. Muitas pessoas devem tentar permanecer ao máximo no trabalho para estar produzindo e contribuindo para o seu bem-estar e apenas aquelas que estão sofrendo com adoecimento muito grave devem ser afastadas para tratamento e posterior reinserção.

Atividades domésticas

Afazeres domésticos precisam ser hábitos frequentes por serem importantes para focar a mente em uma atividade saudável. Melhoram o sentimento de bem-estar pelo fato da pessoa estar em um ambiente organizado e limpo, e aumentam a autoestima por realizarem algo benéfico para elas mesmas.

Atividades de lazer

As atividades de lazer proporcionam um alívio à mente, um momento de descontração, em especial quando acontecem em meio à natureza, como uma caminhada, por exemplo. Além disso, a luz solar recebida na retina aumenta a produção de serotonina para a pessoa que está exposta ao sol. Essa luz à noite é convertida em melatonina, pelo escuro, e isso melhora os sintomas depressivos.

Ainda pode ser de grande valia usar jogos como lazer, apenas para quem não tem traços para o desenvolvimento de compulsão por jogo. Eles são úteis para melhorar o raciocínio, concentração, memória, etc. Podem ser os mais simples: jogos de baralho, jogos eletrônicos, quebra-cabeça, jogo da memória, dominó…

Vínculos afetivos

Esses precisam ser cultivados com familiares e demais pessoas próximas que são queridas e recíprocas. O paciente, ao adoecer, tende ao afastamento, por se fechar ou por começar a ter sintomas de agressividade e solidão, prejudicando as suas relações interpessoais. É preciso que o paciente entenda que o isolamento piora o quadro de depressão. Precisamos dar uma atenção especial nesse aspecto para evitar a piora.

Buscar informação

É de suma importância que cada pessoa busque cada vez mais conhecimento, conteúdos informativos de confiança sobre o tema através de livros, vídeos, blogs, diálogo com conhecidos que já sofreram algo parecido… Isso ajuda na conscientização dos cuidados e no esforço para seguir com as recomendações.

Além de buscar abrir esse leque de opções em um projeto de vida, se você sofre de depressão evite algumas coisas como: álcool e/ou outras drogas, fazer uso de muita cafeína, ficar muitas horas exposto a telas de smartphone, tablet, redes sociais, computador ou notebook, assistir programas que mostram notícias trágicas, manter contato com pessoas pessimistas e/ou reclamonas.

Gostou? Acha que está pronto para começar a reverter o seu quadro depressivo? Conta pra gente nos comentários a sua experiência e o que tem feito hoje para melhorar!

Gisele Maraschin

Gisele Maraschin

Atuo desde 2007 e ser psicóloga é poder desfrutar da paixão e admiração que tenho pelo ser humano. É poder ajudar alguém nem que seja só por uma escuta confiável. É poder compreender e fazer o outro se compreender melhor para fazer boas escolhas. Ser psicóloga é uma mistura de satisfação e gratidão!
Gisele Maraschin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *