Pré-natal psicológico: como ele pode influenciar nossa saúde mental?

Você já parou para pensar que para mudar o mundo é preciso mudar a forma como nascemos? Essa é uma famosa frase do Francês Michel Odent, um renomado obstetra humanizado em todo o mundo.

Como o nascimento pode influenciar nossa saúde mental

Isso porque as pesquisas científicas atuais mostram como fatores de risco e proteção, os acontecimentos durante o nascimento. Esses acontecimentos influenciam na saúde e saúde mental do sujeito ao longo da vida

Sabe-se que a gravidez é um período de intensas transformações, não só físicas, mas também psíquicas. Por isso, é extremamente importante avaliar indicadores emocionais maternos para que eventuais problemas, uma vez identificados, possam ser tratados e amenizados (SCHIAVO, 2016; FLORES; SOUZA; MORAES; MELTRAMI, 2011).

Schiavo (2016) identificou a necessidade de se criar programas de intervenção ainda no pré-parto, pois cerca de 32% das gestantes apresentam sintomas de alta ansiedade, 62% sintomas de estresse e 22% manifesta sintomas de depressão, tendo uma baixa incidência significativa no pós-parto 26% sintomas de alta ansiedade, 49% sintomas de estresse, e 17% sintomas de depressão.

O que é pré-natal-natal psicológico?

Pré-Natal psicológico (PNP) é um acompanhamento complementar ao pré-natal ginecológico, onde utiliza-se de intervenções grupais para avaliação da saúde emocional das gestantes oportunizando espaços de trocas de suas experiências, vivências, alegrias, tristezas, fantasias, medos e angústias advindas desse processo, visando prevenir agravos de doenças psíquicas no pós-parto, e promoção de saúde mental. Podendo ser realizados em grupo ou individual. 

Quem pode participar?

Gestantes em qualquer período da gestação, não necessariamente passando por dificuldades emocionais. Parceiros(as) e avós.

Temas abordados

Os temas são desenvolvidos consideração as características e necessidades dos grupos, dispondo-se de técnicas para prevenção de alterações emocionais significativas próprias desse período, como a ansiedade, estresse e depressão. Alguns dos temas que podem ser trabalhados: 

  • Sigilo dos encontros
  • Planejamento familiar,
  • Gestação
  • Parto
  • Puerpério
  • Saúde emocional
  • Paternidade
  • Rede de apoio
  • Cuidados com o bebê
  • Amamentação
  • O papel dos avós.
  • Luto perinatal

Objetivo

Esses grupos pelo seu caráter vivencial e integrativo propõem que os integrantes possam compartilhar de momentos semelhantes de suas vidas sob orientação de um profissional, acolhendo, informando, orientando e preparando cada um deles para que possam construir uma parentalidade. Favorecendo um desenvolvimento saudável para o bebê e oportunizando um projeto de parentalidade que inclua aspectos educativos e psicodinâmicos 

Benefícios

Quando o ser humano é recebido para esse mundo com amor isso se torna fator de proteção, ele terá melhores condições de se vincular aos pais, receberá aleitamento materno, terá uma família mais acolhedora para o seu desenvolvimento em seus primeiros anos de vida. Cada indivíduo pode se beneficiar de forma diferente tendo em vista que os objetivos podem ser diferentes.

  • Preparar o casal para maternidade e paternidade
  • Minimizar o risco de depressão pós-parto 
  • Intervir nos sintomas de ansiedade e estresse
  • Ter um lugar de integração com pessoas que estão passando por momentos parecidos
  • Propiciar um ambiente mais tranquilo para a chegada do bebê
  • Informar os pais para que se sentiam mais seguros
  • Proporcionar espaços de reflexões das idealizações e conflitos que surgem na gestação.
  • Fortalecer o vínculo e interação do casal
  • Favorecer grupos incluindo outros profissionais, possibilitando que os pais se preparem o máximo possível.

Onde pode ser realizado

O Pré-natal psicológico pode ser realizado na clínica, hospitais, maternidades e centros de saúde.

Sarah Stephany Souza

Olá! Meu nome é Sarah, tenho como objetivo encontrar recursos por meio de acolhimento e compreensão do indivíduo buscando uma melhor qualidade de vida, possibilitando não só as pessoas que estejam em sofrimento psíquico, mas também qualquer pessoa que busque o alto conhecimento, trabalhando a prevenção de problemas emocionais e possíveis conflitos do cotidiano. "Não somos apenas o que pensamos ser. Somos mais: somos também o que lembramos e aquilo de que nos esquecemos; somos as palavras que tocamos, os enganos que cometemos, os impulsos a que cedemos 'sem quer'." Sigmund Freud.
Sarah Stephany Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *