Psicopatas no trabalho: como identificar esses perfis?

Psicopatas no trabalho gritando com outra funcionária

Sempre que ouvimos falar em psicopatas, nossa primeira reação é pensar em assassinos em série e crimes brutais. Não nos ocorre que pode haver um deles logo ali, na escrivaninha ao lado. Não exatamente um assassino serial, mas o que os psicólogos comportamentais chamam de psicopatas corporativos.

Segundo estimativas, cerca de 1% da população mundial desenvolve algum tipo de psicopatia. No mercado de trabalho, cerca de 10% das pessoas são psicopatas. Desse total, 16% deles atuam em cargos de chefia nas empresas.

Isso não quer dizer que todas essas pessoas sejam potenciais assassinos. Tratam-se de indivíduos que agem segundo seus interesses, não se detendo diante de obstáculos e, assim, podendo facilmente prejudicar (e até machucar) seus colegas de trabalho.

Considerando que os psicopatas no trabalho costumam ser elementos nocivo à equipe, convém saber como identificá-lo. Portanto, continue a leitura e fique de olho!

“Meu chefe é um carrasco”

Quantas vezes você já ouviu a expressão acima? De fato, muita gente padece de um chefe ou patrão terrível, do tipo que humilha os funcionários, desdenha dos seus esforços e ofusca seus méritos. Ele assedia ou persegue os subordinados, sem se importar em ferir suscetibilidades ou causar sofrimento.

Se o seu chefe é assim, talvez você esteja lidando com um psicopata profissional ou corporativo.

Ou, então, quem causa problemas é o colega de trabalho. Ele faz tudo para subir na empresa: manipula os demais, mente, se apropria do trabalho alheio e até mesmo frauda resultados.

Todas essas atitudes apontam para um perfil psicótico. De acordo com especialistas, a psicose é um transtorno de personalidade caracterizado principalmente pela falta de empatia. Ele não consegue se colocar no lugar do outro e, por isso, não se importa com o sentimento de quem o cerca. Se causa mal a alguém, o sujeito não sente remorso.

Psicopatas também costumam ser manipuladores. Eles são bons em enrolar os colegas e não hesitam em trair sua confiança sempre que isso lhes convêm. Além disso, mentem compulsivamente. Sobretudo, são incorrigíveis: mesmo quando surpreendidos em suas armações, voltam a enganar na primeira oportunidade.

“Acho que vi um psicopata”

Nem sempre o comportamento abusivo do psicopata profissional é passado adiante. Muitas vezes, ele chega a uma nova organização bem recomendado, pois nem tudo o que faz incomoda seus superiores.

Portanto, se você identificou em um colega ou no chefe os traços distintivos de um psicopata corporativo, a melhor atitude a tomar é procurar ajuda especializada.

O aconselhamento de um psicólogo vai ajudá-lo a determinar com segurança o perfil patológico do psicopata em potencial e, assim, agir a partir de uma identificação positiva.

“Meu malvado favorito”

Em 2012, um psicólogo da Universidade de Cambridge, Kevin Dutton, realizou um estudo que apontou o ambiente corporativo como um refúgio propício para psicopatas. Eles são especialmente bem-vindos em cargos de alta chefia.

A razão disso é que psicopatas são competidores agressivos e extremamente focados em seus objetivos, características muito apreciadas no mundo das grandes corporações.

Além disso, aponta Dutton, eles são frios, objetivos e bastante persuasivos. É por isso que também se dão bem em determinadas carreiras, como advocacia, vendas e até jornalismo. A partir dos dados colhidos, o psicólogo elaborou um ranking das profissões mais e menos sujeitas a atrair os psicopatas profissionais.

Liderando a lista está o cargo de CEO, o diretor executivo de empresas. Na sequência, temos o advogado, profissional de mídia (TV ou rádio), vendedor, cirurgião e jornalista. Policial, membro do clero, chef de cozinha e funcionário público fecham as “dez mais”.

Por outro lado, você terá menos chances de se deparar com psicopatas profissionais trabalhando como cuidadores de idosos, enfermeiros, terapeutas, artesãos e esteticistas. Eles também são pouco encontrados atuando em instituições de caridade, como professores, artistas, médicos ou contadores.

E então, gostou de entender melhor quem são e como identificar os psicopatas profissionais? Se você achou este conteúdo relevante, compartilhe-o nas suas redes sociais e espalhe-o entre seus amigos e colegas e aproveite para ler também o nosso texto sobre relacionamentos interpessoais!

arte com o desenho de um livro e um convite para baixar um ebook

 

"Psicopatas no trabalho: como identificar esses perfis?", 5 out of 5 based on 1 ratings.
0
Psicologia Viva

Psicologia Viva

Selecionamos o psicólogo adequado para a sua necessidade e possibilitamos você ter uma consulta online por videoconferência de qualquer lugar do mundo.
Psicologia Viva

Psicologia Viva

Selecionamos o psicólogo adequado para a sua necessidade e possibilitamos você ter uma consulta online por videoconferência de qualquer lugar do mundo.

Deixe uma resposta