Mulher olhando pela janela com dedos na boca tentando superar o medo

Medo: 8 dicas de como você pode superar esta sensação!

Quem não já se viu na situação de suar frio, gelar as mãos e pés, perder a voz, a respiração, chegar até a porta e voltar atrás na iminência de enfrentar determinadas tarefas e situações?

O coração dispara, as pupilas dilatam, a respiração acelera e os músculos se contraem. Essas são apenas algumas das reações que o corpo apresenta quando sentimos medo.

O medo tem início a partir de situações de gatilho que estimulam o estresse, como por exemplo, uma entrevista de emprego, um auditório lotado esperando por você, uma prova escrita, ou até mesmo uma pergunta inesperada.

Medo é uma característica inata do ser humano. Todo ser humano tem medo, e este faz parte da evolução humana e está relacionado com o nosso instinto de sobrevivência, mas, em alguns casos o medo pode nos paralisar e impedir de executarmos determinadas atividades, cumprir nossas metas e objetivos.

Geralmente nossos medos vão em três direções: medo de perder, medo do processo e medo do fracasso. Existem os medos reais (que sinalizam possibilidades reais de perigo) e os medos irracionais (que são maioria dos medos que temos), porque o medo em si é produto da nossa mente diante das situações, e portanto podem ser trabalhados e superados.

Tem gente que tem medo de tudo, mas tem alguns medos mais comuns. Vamos conhecer os medos mais comuns da maioria das pessoas e ver as nossas dicas de como superar diferentes tipos de medo: medo de escuro, medo de altura, medo de insetos, medo de sangue, medo da morte, medo de dirigir, medo do fracasso, medo de lugares fechados, medo de falar em público, medo de tempestade e claro, medo de baratas.

1. Altura

Todos os medos só podem ser vencidos se enfrentados. Toda vez que você estiver no alto, tente pensar que geralmente a probabilidade de acontecer algum acidente é mínima porque essas estruturas e equipamentos relacionados ao medo de altura, como por exemplo aviões e prédios altos, são projetados para oferecer máxima segurança.

O medo não vai sumir de um dia para o outro, mas pode ser vencido gradualmente. Lembre daquela história de um degrau de cada vez e, já já, você vai estar no topo da escada.

2. Falar em público

Aquele frio na barriga quando você está diante de uma plateia não é prerrogativa só sua! Tem gente que nem consegue chegar diante da plateia. O medo de falar em público é comum a uma grande parcela da população. Uma boa dica para superar esse medo é praticar.

Fale sozinho para o espelho, apresente-se para alguém da família ou grave a sua apresentação para ver depois. Tente vencer esse medo começando por estar diante de grupos pequenos, e aos poucos isso te ajudará a se sentir mais seguro.

3. Escuro

De repente deu um pico de luz, acabou a energia, é aquela gritaria louca. Que aconteceu? O medo do escuro pode afetar tanto crianças quanto adultos e, geralmente, está associado a acontecimentos da infância.

Algo que pode ajudar a superar isto é reduzir a luminosidade de forma gradual, à noite. Se você costuma dormir com as luzes ligadas, desligue uma das luzes na primeira noite. Na noite seguinte, desligue mais uma e assim por diante para ir se acostumando com o escuro.

4. Fracasso

Muitos dos nossos medos estão ligados ao medo de fracassar. As pessoas que têm medo de fracassar colocam muitas expectativas na primeira tentativa. Caso não tenham sucesso, isso as desanima e as fazem pensar que são fracassadas.

Muitas vezes perdemos oportunidades e nem tentamos porque o medo do fracasso nos impede colocando aquele pensamento negativo em nossa cabeça. É difícil aceitar que a falha é uma oportunidade de acertar da próxima vez e faz parte do processo de aprendizado.

Um bom conselho é tentar ser mais realista: só porque não conseguiu na primeira vez, isso não representa fracasso e sempre podemos aprender com nosso erros.

Muitos pensam em função do medo que nunca conseguem empreender na vida, e assim boicotam a si mesmas, nunca tentando realizar nada, num processo que chamamos de auto-sabotagem. Sempre deixam para depois.

5. Lugares fechados

Claustrofobia é o nome do medo de lugares fechados, e se trata de um medo muito comum. Para lidar com esse medo, em vez de evitá-lo, exponha-se a ele de forma controlada, quando se sentir em segurança. 

Faça um exercício: imagine-se em lugares fechados, veja fotografias de ambientes fechados e preste atenção ao seu comportamento.

Quanto mais você se expor ao medo, contando com a ajuda de pessoas em quem confia, aos poucos vai perceber que não existe nenhuma ameaça real ali.

6. Dirigir

Comece aos poucos. Primeiro, tente dar uma volta no quarteirão, depois dê uma volta no bairro. Quando se sentir mais seguro, dirija até lugares conhecidos, como a padaria ou a escola do seu filho, por exemplo, e assim por diante. Ter alguém de confiança ao lado pode ajudar nessa etapa.

O importante é traçar objetivos cada vez mais desafiadores e celebrar cada conquista. Existem pessoas que só conseguem vencer esse medo com a ajuda de um profissional.

7. Medo de morrer

Existem pessoas que ficam apavoradas diante da possibilidade de morrer, não conseguem viver com medo de morrer.  O medo da morte faz com que nos preocupemos em cuidar de nossa saúde e nos mantenhamos saudáveis.

O medo nos ajuda a termos cautela diante de situações que podem colocar em perigo nossa integridade física, mas não podemos evitar a vida com medo de morrer.

Enfrente o medo da morte não fugindo das situações em que você deve lidar com a morte. Ir a enterro de pessoas próximas, imaginar o dia da própria morte e ter o contato com esse medo de forma que ele se torne menos ameaçador .

8. Fobia Social

É o medo de estar com as pessoas. Normalmente quem têm esse distúrbio são pessoas muito tímidas e com baixa autoestima.

A pessoa se isola dos contatos sociais, às vezes até da própria família, com medo de ser julgada, ridicularizada, humilhada.

O sentimento de inadequação e incapacidade é muito presente para estas pessoas, que às vezes se sentem incapazes de estabelecer relações interpessoais. Saiba mais sobre esse medo e como superá-lo.

Para vencer esse medo é preciso trabalhar a autoestima, e aos poucos e de forma gradual interagindo com as pessoas nas atividades da vida normal.

Quando o problema se torna mais grave a ponto de interferir na vida social, é necessário ajuda profissional.

Não deixe seu medo crescer

Medo não é oposto de coragem.

Mesmo quem tem coragem tem medo.

Diz Napoleon Hill “ medos são apenas estados mentais”. O medo é como uma planta, quanto mais você cultiva mas ela cresce. O medo cresce à medida que você não o enfrenta, que você procrastina o enfrentamento. Quanto você deixa o medo lá e se recusa a enfrentá-lo, mais ele cresce.

Ele cria vida própria em nossa cabeça e só cresce, cresce. O medo é produto da nossa mente, portanto temos que vencer nossos medos e cultivar a nossa mente com pensamentos positivos.

Esses conselhos podem ajudar você a superar o medo, mas saiba que ele pode estar associado a acontecimentos passados. Por isso, se o seu medo é recorrente e atrapalha o seu dia a dia ou te impede de aproveitar oportunidades, procure um psicólogo. O medo sempre é melhor tratado com acompanhamento e suporte.

Gostou desse texto? Leia também algumas dicas que separamos e para te ajudar a desenvolver inteligência emocional.

Botão direcionando os leitores para o download de um ebook

Ana Vilma Fernandes Moreira

Sentir-se escutado e compreendido profundamente é uma necessidade do ser humano.Recorrer a um profissional que nos ajude a nos escutar e nos compreender é um investimento em nossa própria saúde mental, física e psicológica. É nesta perspectiva que a psicóloga Ana Vilma Fernandes Moreira, CRP 04/31454 trabalha, acreditando no potencial de superação que cada ser humano carrega dentro de si. Acolhimento, respeito, consideração positiva incondicional, escuta empática, ética e sigilo profissional são pilares que orientam o seu trabalho para ajudar as pessoas no seus momentos de dificuldades e buscas de crescimento pessoal. Ana Vilma Fernandes Moreira atua com atendimento individual de crianças, adolescentes, adultos e idosos e também terapia em grupo. Ministra palestras e orientação de pais em escolas.
Ana Vilma Fernandes Moreira

Últimos posts por Ana Vilma Fernandes Moreira (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *