A influência da tecnologia na infância! Perigo ou incentivo?

As antigas e as novas formas de brincar

As atividades recreativas tradicionais, como a amarelinha, esconde-esconde, pega-pega, jogos com bola, bicicletas, etc., estão cada vez mais raras, uma vez que não se constituem como brinquedos favoritos da infância moderna, visto que a tecnologia em nossa sociedade é referência de lazer trabalho e conhecimento.

Nesse sentido, os mais diferentes dispositivos eletrônicos e os jogos eletrônicos, influenciam diretamente na maturação cognitiva, afetiva e social das crianças, podendo ser benéficos, com o uso direcionado, ou prejudicial com uso intenso e sem propósitos em relação ao desenvolvimento infantil.

A utilização da tecnologia na infância cada vez mais precoce provoca questionamentos polêmicos quanto ao desenvolvimento afetivo, cognitivo e social da criança, uma vez que substituem amigos e jogos reais pelos virtuais, o que impedem muitas vezes de expressarem seus sentimentos, aflições e desejos por meio do mundo real, isolando-se em seus quartos, satisfazendo-se com a vida virtual.

Esse uso indiscriminado sem dúvida desconstrói o vínculo afetivo entre os membros da família, e geram dificuldades no âmbito escolar, por falta de equilíbrio entre a sua cognição e seu afeto, comprometendo o desempenho escolar dos alunos.  Não podemos ignorar que existem, também, alguns problemas relacionados com assuntos mal intencionados, desvirtuando, principalmente, o pensamento de uma criança em desenvolvimento.

A importância de saber o que seus filhos andam fazendo na internet

O acesso à internet em algumas redes de acesso a “programas educacionais”, muitas vezes não trazem especificamente conteúdos educativos, trazendo jogos ou outra proposta que induz as crianças a cometerem atos violentos, até mesmo o Bullying, problema social frequente nas escolas, abandonando o interesse em aprender realmente o que seria necessário à sua formação. É importante os pais saberem o que seus filhos acessam na internet, com regras e horários definidos.

Ainda é importante o estabelecimento de regras e horários, lembrando que a agressividade e ansiedade pelo não uso da tecnologia, são geradas pela falta de limites na utilização dos aparelhos, não o contrário. Os pais principalmente precisam ter a consciência que o NÃO uso NÃO deixa a criança agressiva, ao contrário, o NÃO estabelecimento dos limites que tornam as crianças agressiva e ansiosa.

O mundo cada vez mais globalizado, as grandes transformações tecnológicas, não pode passar despercebido, como também não podemos ignorar os avanços, e diante desse cenário faz-se necessário compreender que quando utilizamos a tecnologia de maneira educativa e recreativa, sem dúvida, as funções cognitivas serão estimuladas, melhorando o pensamento e também ajudando a desenvolver em habilidades cruciais que são necessárias na sociedade.

No âmbito educacional, é fundamental treinar e capacitar os educadores, que são detentores de conhecimentos pedagógicos, o suficiente para decidirem se seria ou não adequado o uso da tecnologia para o desenvolvimento de determinada faixa etária, e se de fato a criança se beneficiaria da atividade. A adoção de tecnologia em instituições deve ser definida com metas e objetivos claros, pois, alguns aplicativos de jogos e aprendizado permitem que as crianças prestem mais atenção aos detalhes para concluir as atividades.

As muitas opções de jogos de aprendizagem digital

Existem inúmeros jogos de aprendizagem digital que os professores podem usar para envolver os alunos na sala de aula. Alguns dos jogos incluem bingo educativo, caça ao tesouro, questionários, etc. Estudos mostraram que os alunos que estudam apresentações que incluíam vídeos, acharam-na mais envolventes, informativas e divertidas. Em tenra idade, as crianças adoram brincar com brinquedos e jogos.

No entanto, para não deixar a criança sedentária, é preciso o cuidado de complementar outras necessidades de desenvolvimento, como o jogo físico, exploração ao ar livre da natureza; arte, música e dança; aprendendo habilidades sociais específicas e valores morais, com o fim de desligá-los um pouco, senão totalmente, da ilusão virtual que a tecnologia influencia.

Não precisamos ter medo se usarmos bem a tecnologia na infância

Existem inúmeras vantagens de usar a tecnologia na educação infantil. Os educadores não precisam ter medo do uso da tecnologia, pois as crianças desenvolvem suas habilidades e intelecto pela aplicação e uso da tecnologia na sala de aula. A tecnologia é uma ferramenta que pode oferecer outra maneira de as crianças aprenderem e compreenderem seu mundo.

Nos dias atuais, como pudemos ver neste breve artigo, existem diversas maneiras de interagir com o conhecimento, e não se pode negar que o uso das tecnologias, aqui destacando o uso da informática em sala de aula, vêm muito a acrescentar como fonte de pesquisa e motivação. Porém, não se pode deixar de lado o incentivo ao trabalho em grupo, ao manuseio do bom e velho livro didático, das atividades físicas, deixando de lado um pouco do sedentarismo das atividades diante do computador. Logo, é imprescindível como vimos, haver certo equilíbrio entre o uso da tecnologia como fonte propagadora do conhecimento, sem que isto afete as outras relações.

Psicologia em um click!

 

Andrea Christiano

Olá, vou ser breve e contar um pouco da minha historia profissional. Sou Psicóloga Clínica, atuo na abordagem cognitiva comportamental, que é bem específica, uma terapia breve e focada no seu problema, que pode ser emocional, sentimental, de memória, alguns transtornos psicológicos de ansiedade, aprendizagens, fobias, humor, alimentares, depressão, esquizofrênico, TOC, entre tantos outros. Importante você saber também, que sou pós- graduada em Neuropsicologia, que faz parte das neurociências, uma abordagem mais direcionada nas relações entre o cérebro e comportamento, e como esses sistemas cerebrais atuam nas suas formas complexas de atividades mentais, investigando os distúrbios cognitivos, emocionais e comportamentais, ou melhor, são falhas nas transmissões de informações e ou lesões no nosso cérebro. E agora ? que fazer? Intervenção clínica, no consultório, através de avaliações neuropsicológicas, em crianças acima de 07 anos, adolescentes, adultos e idosos, que irá identificar e apontar onde estão essas " falhas, ou lesões no cérebro" além é claro de estimulação e reabilitação cognitiva, que irá restabelecer nossas funções cerebrais. Para melhor atender você, disponibilizarei meu whatsapp, se ficou alguma dúvida me liga: 17 997590013. Resumo das qualificações: Atendimento clínico; Avaliação neuropsicológica; Avaliação para cirurgia bariátrica; Avaliação profissional e vocacional;
Andrea Christiano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *