ansiedade e depressão

Descubra o seu nível de ansiedade e depressão: faça o teste agora!

A vida moderna tem seu preço. Estamos constantemente submetidos a uma enorme gama de agentes estressantes: as cobranças no trabalho, os relacionamentos pessoais, o trânsito caótico e as contas para pagar.

Tudo isso, é claro, resulta em um número maior de pessoas com ansiedade e depressão. A falta de tempo para fazer o que dá prazer, o medo de crises financeiras e até mesmo a situação política do país contribuem para elevar o nível de apreensão com o futuro e de instabilidade. Tudo isso aumenta o estresse e gera várias consequências para a nossa saúde emocional.

Como será que anda o seu nível de ansiedade e depressão? Continue a leitura do artigo para entender mais sobre esses problemas. Além disso, no meio do nosso artigo, você encontrará um teste rápido e gratuito para entender se está na hora de buscar por apoio!

Ansiedade e depressão: como esses dois problemas se relacionam?

Embora muitas pessoas acreditem que a ansiedade e a depressão sejam problemas opostos, a verdade é que ambos os transtornos podem “andar de mãos dadas” – e não é raro alguém com diagnóstico de depressão descobrir que também sofre com ansiedade.

Ansiedade

Primeiro, é importante explicar que a ansiedade é um sentimento natural do ser humano e até essencial para a nossa evolução. Afinal, é graças a ela que conseguimos nos preparar para situações de fuga, resolver problemas e nos preservarmos.

Contudo, em algumas pessoas, a ansiedade pode se tornar patológica. Isso acontece quando esse sentimento não está relacionado a nenhuma situação específica e os sintomas intensos impedem a pessoa de realizar suas tarefas de forma rotineira.

Os transtornos de ansiedade surgem quando a pessoa se torna incapaz de relaxar, com pensamentos fixos e obsessivos sobre determinado assunto, o que aumenta a fadiga e leva a problemas para dormir. Tudo isso, é claro, torna a vida do ansioso mais complicada e ele começa a ter prejuízos sociais, com dificuldades nos relacionamentos, no emprego, nos estudos e em vários outros campos.

Quem sofre de ansiedade geralmente sente uma sensação de preocupação e de medo a todo instante, além de sintomas físicos como sudorese extrema, tremores, crises respiratórias e pensamento acelerado e negativo ao extremo. Isso atrapalha as atividades cotidianas da pessoa, já que são sintomas muito difíceis de serem controlados por conta própria, e isso prejudica (e muito!) a qualidade de vida da pessoa que está nesse cenário.

Mas não se preocupe. Os distúrbios de ansiedade podem ser tratados, e seus sintomas tão suavizados que a pessoa que antes tinha sua saúde mental em estado de alerta vive normalmente. Acompanhe esta leitura para entender de que forma isso pode acontecer! 🙂

Depressão

A depressão acontece quando a pessoa se sente profundamente triste, desanimada e com baixa autoestima – o que pode ser por vários fatores. É importante entender que a tristeza não é  patológica e é normal ficarmos alguns dias mais “pra baixo”, principalmente quando existem situações que levem a isso, como fim de relacionamentos, perda de emprego ou a morte de alguém próximo.

Porém, na depressão, a tristeza é mais profunda e duradoura e o paciente não consegue ver saída para aquela situação. Muitas vezes, o distúrbio é causado por uma alteração química no cérebro, que leva à queda de neurotransmissores importantes como a serotonina, a dopamina e a noradrenalina.

Além da tristeza, o depressivo também pode se sentir irritado com o mundo, pessimista e com uma sensação de vazio muito intensa. Em alguns casos, é normal que ambos os problemas apareçam juntos ou que um seja resultado do outro. Por exemplo, uma pessoa que sofre de um transtorno de ansiedade durante muitos anos, com o tempo e sem tratamento adequado, poderá vir a desenvolver um quadro depressivo ou vice-versa.

Gatilhos para os quadros depressivos

Uma possível explicação para essa ligação é que os pensamentos negativos típicos do ansioso podem funcionar como gatilhos para os quadros depressivos. Além disso, a ansiedade possui sintomas muito fortes e várias pessoas passam a evitar sair de casa com medo das crises, o que também pode desencadear a depressão.

Quais os principais sintomas da ansiedade e da depressão?

A partir dos tópicos acima, já deu para entender alguns sintomas da ansiedade e da depressão, não é? Vamos vê-los com mais detalhes abaixo:

Ansiedade

São muitos os transtornos relacionados à ansiedade e cada um deles pode ter sintomas específicos. Os sintomas mais comuns são:

  • nervosismo constante;
  • dificuldades de concentração;
  • pressentimentos negativos;
  • medo constante;
  • preocupação exagerada que não condiz com a realidade;
  • pensamentos descontrolados e obsessivos sobre determinada situação ou problema;
  • dificuldades para dormir e insônia;
  • sono não reparador;
  • irritabilidade;
  • dor ou aperto no peito;
  • falta de ar ou respiração ofegante;
  • tremores nas mãos e em outras partes do corpo;
  • mãos geladas e suor frio;
  • boca seca;
  • fadiga;
  • dor de barriga ou diarreia;
  • dores de cabeça;
  • tensão muscular;
  • náuseas e vômitos.

Um tipo comum de transtorno de ansiedade é a Síndrome do Pânico. Nela, o paciente poderá apresentar sintomas mais específicos, como:

  • sensação de morte;
  • nervosismo e pânico incontroláveis;
  • vertigens e tonturas;
  • sensação de desmaio;
  • problemas gastrointestinais;
  • respiração e batimentos cardíacos acelerados.

Algumas vezes, os sintomas físicos da ansiedade e da Síndrome do Pânico são tão intensos que a pessoa pode acreditar estar tendo um infarto ou outros problemas de saúde.

Depressão

A depressão tem sintomas diferentes, dependendo de cada pessoa. Porém, existem alguns que são mais comuns e que ajudam a identificar quando alguém está depressivo:

  • falta de motivação;
  • apatia;
  • problemas de concentração;
  • falta de interesse nas atividades que antes lhe davam prazer;
  • irritabilidade;
  • raciocínio lento;
  • esquecimento;
  • aumento ou perda do apetite;
  • medos que antes não existiam;
  • angústia;
  • sensação de vazio;
  • indigestão;
  • dor de barriga ou constipação;
  • dores no corpo;
  • tensão muscular;
  • pressão no peito;
  • isolamento social.

Lembrando que nem sempre o indivíduo depressivo abandona as suas atividades. Existem muitas pessoas que continuam trabalhando e até tendo vida social com depressão, escondendo de todos os seus sintomas e tentando “agir normalmente”, embora sintam-se tristes, vazios e ausentes por dentro.

É importante diferenciar a tristeza patológica daquela transitória provocada por acontecimentos difíceis e desagradáveis, como a perda de emprego, os desencontros amorosos, os desentendimentos familiares, as dificuldades econômicas etc. Por isso é tão fundamental ser diagnosticado! Assim, você realmente entende o que está acontecendo e, a partir daí, sabe como lidar com a doença.

Teste de ansiedade e depressão: como funciona?

Você está com um quadro de ansiedade e depressão, ou só passando por uma fase difícil?

Faça o teste e descubra em poucos minutos!

O teste é conhecido como DASS-21 e divide-se em 3 etapas:

  • 1ª: busca identificar os sintomas pertencentes à ansiedade e depressão (por exemplo, irritabilidade, humor reprimido e insônia);
  • 2ª e 3ª: dividem-se em estruturas que pertencem às condições de forma separada.

O teste não deve ser levado como um diagnóstico, apenas como uma orientação dos níveis dos sintomas. Neste caso, sempre é recomendado consultar um profissional capacitado para uma avaliação completa.

Abaixo, você poderá responder ao questionário e o resultado será enviado ao seu e-mail. Por isso, tente responder com o máximo de sinceridade de clareza. Lembrando que as suas respostas não serão compartilhadas!

ansiedade e depressão

 

Será que preciso de ajuda?

É importante lembrar que o resultado dessa avaliação não indica um diagnóstico completo. Assim, apenas por esse resultado, é impossível diagnosticar um quadro de ansiedade e depressão.

Contudo, se você se encaixou nos sintomas descritos ou possui potencial para desenvolver um quadro de depressão ou de ansiedade (de acordo com o teste), isso indica que está na hora de buscar ajuda especializada. Procure um psicólogo da sua confiança e cuide da sua saúde mental. Essa é a melhor maneira de conseguir mais qualidade de vida e bem-estar e, claro, de atingir todo o seu potencial e suas realizações.

Você gostou deste conteúdo? Quer entender mais sobre a ansiedade e depressão? Baixe o nosso e-book sobre o tema e veja dicas para tratar os problemas!

Psicologia Viva

Selecionamos o psicólogo adequado para a sua necessidade e possibilitamos você ter uma consulta online por videoconferência de qualquer lugar do mundo.
Psicologia Viva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *